Convertido cristão iraniano perde apelo de sentenças de prisão 18 meses após prisão

Compartilhe

Um cristão iraniano convertido condenado por ser membro de um grupo evangélico “sionista” perdeu seu apelo contra duas sentenças de prisão que recebeu no início deste ano, de acordo com uma organização iraniana de defesa dos direitos humanos com sede em Londres. 

O artigo 18 informa que Ismaeil Maghrebinejad, um membro de 65 anos da Igreja Anglicana, foi informado na semana passada que duas das três sentenças de prisão que ele recebeu no início deste ano foram cumpridas enquanto uma foi derrubada. 

Segundo o grupo de fiscalização, Maghrebinejad foi informado no domingo passado que a acusação de insultar as crenças sagradas dos muçulmanos havia sido revogada em recurso. 

Mas na quarta-feira passada, as duas sentenças de Maghrebinejad por “propaganda contra o estado” e “filiação a um grupo hostil ao regime” foram mantidas. 

Embora as três sentenças totalizem seis anos de prisão, a organização sem fins lucrativos observa que Maghrebinejad provavelmente cumprirá apenas uma sentença de dois anos por “pertencer a um grupo hostil”.

Mansour Borji, do Article18, disse em comunicado que é impressionante que o governo iraniano acusou um pastor anglicano de pertencer a um grupo hostil ao estado. 

Como a República Islâmica é considerada um dos piores países do mundo em perseguição cristã, Borji disse que “essa rotulagem é aplicada de maneira incorreta a qualquer cristão preso por suas atividades religiosas, pois os tribunais revolucionários tentam justificar suas violações da liberdade religiosa. “

Maghrebinejad foi preso em sua casa em janeiro de 2019. Ele foi condenado em janeiro de 2020 por um tribunal civil em Shiraz a três anos de prisão nos termos do artigo 513 do código penal islâmico por insultar crenças religiosas. 

Em fevereiro, ele foi condenado a mais dois anos de prisão por “pertencer a um grupo hostil ao regime”, nos termos do artigo 499 do código penal. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *