Brasil registra 614 mortes e 23 mil novos casos de Covid-19 em 24h

Compartilhe

O Ministério da Saúde registrou nesta segunda-feira (27) um total de 614 mortes e 23 mil novos casos confirmados da Covid-19 em seu boletim diário. Com a atualização, o Brasil passa a acumular 2.442.375 casos e 87.618 mortes registradas pela doença do novo coronavírus.

O governo federal estima que o Brasil tenha 1.667.667 recuperados da Covid-19, com 687.090 casos em acompanhamento.

Os números seguem colocando o Brasil como o segundo país com mais mortes e mais casos da doença, em ambos os casos atrás dos Estados Unidos. Entre os americanos, segundo a Universidade Johns Hopkins, há 4.276.856 casos e 147.303 mortes pela doença.

A atualização diária é feita com a consolidação dos casos e mortes confirmados pelas secretarias estaduais de saúde ao longo de um período de 24 horas, iniciado às 16h de domingo (26) e não leva em conta a data das ocorrências.

Há mudanças no fluxo de trabalho das secretarias aos finais de semana, o que se reflete em registros usualmente menores nos domingos e segundas-feiras.

Em comparação com a segunda imediatamente anterior, o Brasil registrou um número de casos mais de 10% maior mas um número de mortes levemente menor. No dia 20 de julho, foram confirmados 20.257 casos e 632 mortes.

O estado de São Paulo segue sendo aquele em que há o maior número de casos confirmados e de mortes pela Covid-19. São 487.654 diagnósticos positivos e 21.676 óbitos. Os números colocam São Paulo, ainda segundo a Johns Hopkins, como a região subnacional com o maior número de casos no mundo.

Após São Paulo, outros dois estados americanos ultrapassaram Nova York, que liderou o ranking durante grande parte da pandemia e agora está em quarto, com 412 mil casos. São eles, a Califórnia, com 453 mil casos e a Flórida, com 432 mil.

Os próximos estados brasileiros no ranking ocupam quatro posições consecutivas, entre o 16º e o 19º lugares. Na ordem, o Ceará (162,9 mil casos), o Rio de Janeiro (157,8 mil casos), a Bahia (149,1 mil casos) e o Pará (148,8 mil casos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *