Médica de vídeo retuitado por Trump crê que os EUA é governado por reptilianos

Compartilhe

Um médico de Houston que elogiou a hidroxicloroquina como uma cura milagrosa para o coronavírus em um vídeo viral retuitado pelo presidente Donald Trump culpa os problemas ginecológicos do sexo com espíritos malignos e acredita que o governo dos EUA é dirigido por “reptilianos”.

O discurso viral de Stella Immanuel chamou a atenção para um grupo pouco conhecido que se autodenomina “Médicos da Linha da Frente da América”, que parecem existir para promover a droga antimalárica comum na luta contra o Covid-19.

“Ninguém precisa ficar doente. Este vírus tem uma cura – é chamado hidroxicloroquina”, exclamou Immanuel na segunda-feira, quando estava nos degraus da Suprema Corte em Washington, na chamada “Cúpula do Jaleco Branco” de médicos afins.

No início da pandemia, os cientistas estavam ansiosos para descobrir se as propriedades antivirais da hidroxicloroquina a tornariam eficaz em pacientes do mundo real com SARS-CoV-2.

Até agora, porém, todos os principais ensaios clínicos que relataram suas descobertas sobre essa questão não encontraram benefício, e as principais autoridades nacionais de saúde passaram a restringir seu uso devido a possíveis danos cardíacos.

No entanto, a médica disse que todos os 350 pacientes que ela havia tratado com o medicamento – incluindo aqueles com condições pré-existentes graves – sobreviveram e que a hidroxicloroquina era tão potente que tornou desnecessário o uso de máscaras e bloqueios.

O clipe foi compartilhado por Trump e descrito como “must watch” por seu filho Donald Trump Jr, mas desde então foi excluído pelo Facebook, Twitter e YouTube por promover desinformação.

Questionado mais tarde por um repórter sobre seu retweet, o presidente disse: “Eu pensei que a voz dela era uma voz importante, mas não sei nada sobre ela”.

O debate sobre a hidroxicloroquina ficou sobrecarregado politicamente com líderes como Trump e alguns conservadores norte-americanos torcendo fortemente a seu favor.

E o curioso caso de Immanuel e colegas – relatado pela primeira vez em profundidade pelo The Daily Beast – destaca até que ponto os advogados da droga estão dispostos a ir.

Grupo político de direita 

O site de “America’s Frontline Doctors” foi registrado há apenas 11 dias, revelou um verificador de idade no domínio da web – e o site foi retirado na terça-feira à tarde.

“Tea Party Patriots”, um grupo político de direita apoiado por republicanos ricos, disse em seu site que era responsável pela organização da cúpula de Washington.

Outras pesquisas na página de Immanuel, agora acessível apenas por um visualizador de site arquivado, bem como por sua conta do YouTube, revelam uma longa lista de crenças bizarras e não científicas.

Isso inclui que “espíritos atormentadores” costumam ter “sexo astral” com mulheres, o que, por sua vez, causa “problemas ginecológicos, angústia conjugal, abortos espontâneos” e muito mais.

Em um vídeo de 2015, Immanuel, que lidera um grupo religioso chamado Fire Power Ministries, disse: “Há pessoas que governam esta nação que nem são humanas”, descrevendo-as como “espíritos reptilianos” que são “meio humanos, meio ET”.

No mesmo vídeo, ela critica o uso de “DNA alienígena” para tratar pessoas doentes, o que, segundo ela, resultou na mistura de seres humanos com demônios.

Outros alvos de sua raiva incluem o casamento gay, que, segundo ela, resultaria em adultos casando com crianças.

Immanuel nasceu em 1965, recebeu seu diploma de médico na Universidade de Calabar, na Nigéria, e possui uma licença médica válida, de acordo com o site do Texas Medical Board.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *