China completa sistema de navegação por satélite que pode rivalizar com o GPS dos EUA

Compartilhe

O sistema de navegação por satélite BeiDou da China pode aumentar a segurança e a influência geopolítica de Pequim.

A China está comemorando a conclusão do seu Sistema de Navegação por Satélite BeiDou, que poderia rivalizar com o Sistema de Posicionamento Global (GPS) dos EUA e aumentar significativamente a segurança e a influência geopolítica da China.

O presidente Xi Jinping, líder do Partido Comunista e Exército de Libertação Popular, encomendou oficialmente o sistema na sexta-feira em uma cerimônia no Grande Salão do Povo, em Pequim.

Em seguida, foi declarado que o 55º e último satélite geoestacionário da constelação lançado em 23 de junho estava operando após a conclusão de todos os testes.

O satélite faz parte da terceira iteração do sistema BeiDou, conhecida como BDS-3, que começou a fornecer serviços de navegação em 2018 para países que participam da ampla iniciativa de infraestrutura chinesa “Belt and Road”, juntamente com outros.

Além de ser um auxílio à navegação com um grau extremamente alto de precisão, o sistema oferece comunicação de mensagens curtas de até 1.200 caracteres chineses e a capacidade de transmitir imagens.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, disse que o sistema já está em uso em mais da metade das nações do mundo e enfatizou a dedicação da China ao uso pacífico do espaço e o desejo de trabalhar com outros países.

“A China está disposta a continuar a fortalecer as trocas e a cooperação no espaço e a compartilhar as conquistas do desenvolvimento espacial com outros países, com base no respeito mútuo, abertura, inclusão, igualdade e benefício mútuo”, disse Wang em um briefing diário.

Enquanto a China diz que busca cooperação com outros sistemas de navegação por satélite, o BeiDou pode finalmente competir contra o GPS, o GLONASS da Rússia e as redes Galileo da União Europeia. Isso é semelhante ao modo como fabricantes chinesas de celulares e outros fabricantes de hardware tecnicamente sofisticado enfrentaram seus rivais estrangeiros.

A agência oficial de notícias Xinhua disse que o BeiDou é compatível com os outros três sistemas, mas não deu detalhes sobre como eles trabalhariam juntos.

Para a China, uma das principais vantagens do sistema, cuja construção começou há 30 anos, é a capacidade de substituir o GPS por guiar seus mísseis, especialmente importante agora em meio às crescentes tensões com Washington.

Ele também eleva a alavancagem econômica e política da China sobre os países que adotam o sistema, garantindo que eles se alinham atrás da posição da China em Taiwan, no Tibete, no Mar da China Meridional e em outros assuntos delicados, ou correm o risco de perder seu acesso.

A chave para o sucesso da China foi o desenvolvimento de relógios atômicos de rubídio da Academia de Tecnologia Espacial da China que fornecem padrões de tempo e frequência para satélites BDS, disse a Xinhua.

Ele disse que o sistema é a prova de que as tentativas de Washington de impor um “duro bloqueio de alta tecnologia” e a repressão a empresas chinesas como a Huawei fracassaram.

“Apesar de tais medidas, a capacidade de inovação da China só se fortaleceu. Assim como o presidente Xi disse recentemente em um simpósio sobre o trabalho econômico da China: ‘Nenhum país nem indivíduo pode parar o ritmo histórico do grande rejuvenescimento da nação chinesa”, Xinhua disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *