Terremoto raso de 6.7 nas Filipinas deixa estragos e dezenas de feridos

Compartilhe

Pelo menos uma pessoa morreu e 43 ficaram feridas quando um terremoto de magnitude 6,6  sacudiu o centro das Filipinas, danificando prédios e estradas e fazendo com que moradores fugissem de suas casas.

O terremoto raso atingiu o sudeste da Ilha de Masbate, na região de Bicol, às 8h03 (00h03 GMT) na terça-feira, informou o US Geological Survey.

“Há muitas casas danificadas”, disse o sargento Antonio Clemente em Cataingan, uma cidade de cerca de 50.000 habitantes na ilha empobrecida, vários quilômetros a oeste do epicentro no mar de Samar. “Foi muito forte.”

De acordo com o Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia, o terremoto atingiu cerca de cinco quilômetros (três milhas) de Cataingan, a uma profundidade de cerca de 21 quilômetros (13 milhas).

O repórter da estação de rádio local Christopher Decamon disse que viu trabalhadores de emergência retirarem o corpo de um policial aposentado dos escombros de uma casa de três andares nos arredores de Cataingan. A esposa do homem escapou ilesa.

A polícia confirmou a morte do homem. Dezesseis pessoas também ficaram feridas na cidade.

O terremoto “foi muito forte, nosso pessoal estava transmitindo na época, mas simplesmente saiu correndo do prédio”, disse Decamon à agência de notícias AFP por telefone.

Nas proximidades de Palanas, pelo menos 27 pessoas ficaram feridas após serem atingidas por objetos em queda ou quando suas motocicletas bateram, disse Chris Adique, um oficial municipal de desastres, à rádio DZBB.

A extensão do dano ainda está para ser vista

O terremoto ocorreu enquanto o arquipélago lutava contra o aumento do número de infecções por coronavírus, com mais de 164.000 casos e restrições de movimento que variam em todo o país.

Um bloqueio que afeta um quarto da população, incluindo a capital Manila, será facilitado na quarta-feira.

“Falamos com várias autoridades no terreno que disseram que as operações de resgate em Cataingan estão bem encaminhadas”, disse Jamila Alindogan da Al Jazeera, relatando da capital Manila.

“Autoridades levantaram o alerta para quatro vulcões em muitas partes do sul e centro de Luzon, onde ainda não se sabe se o efeito desses vulcões tem relação direta com o terremoto”, acrescentou.

Até agora, o escritório de sismologia das Filipinas registrou pelo menos 24 tremores secundários, com o mais forte registrando uma magnitude de  3,8.

Um vídeo postado no Facebook e verificado pela AFP mostrou danos leves a um mercado de alimentos em Cataingan.

Baldes virados e pequenos peixes estavam espalhados pelo chão, e pedaços de cimento haviam caído de um pilar. As pessoas ficaram do lado de fora na rua.

O presidente da Cruz Vermelha Filipina, Richard Gordon, postou fotos tiradas por seus colegas mostrando edifícios em Cataingan com telhados de ferro corrugado caídos.

Outras fotos tiradas na cidade vizinha de Uson mostram uma estrada asfaltada com uma grande rachadura.

As Filipinas estão situadas no “anel de fogo” do Pacífico, um arco de intensa atividade sísmica que se estende do Japão ao sudeste da Ásia e pela bacia do Pacífico.

Também é assolado por cerca de 20 tufões e tempestades a cada ano, o que o torna um dos países mais propensos a desastres do mundo.

Um terremoto de magnitude 6,8 atingiu a ilha de Mindanao no sul em dezembro, matando pelo menos três pessoas, ferindo dezenas e danificando edifícios.

Atingiu enquanto a ilha ainda se recuperava de uma série de terremotos mortais em outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *