Como Tite superou Luxemburgo e fez Grêmio campeão da Copa do Brasil no Morumbi

Compartilhe

Dando sequência à série de matérias sobre grandes vitórias do Grêmio como visitante ao longo da história, GaúchaZH recorda uma das melhores atuações da equipe comandada por Tite. Aliando raça e técnica, o Tricolor alcançou o tetracampeonato da Copa do Brasil de 2001 ao bater o Corinthians, de Vanderlei Luxemburgo, em pleno Morumbi.

Depois de ter encerrado a última temporada sem nenhuma taça no armário, mesmo com altos investimentos no futebol, a diretoria gremista resolveu apostar em um novo treinador que, aos 39 anos de idade, havia levado o Caxias ao título gaúcho. A primeira providência de Tite ao chegar no Estádio Olímpico foi implementar o sistema tático 3-6-1, exigindo um time compacto, que valorizasse a troca de passes. Assim, avançou até a final da Copa do Brasil, tendo passado por Villa Nova-MG, Santa Cruz, Fluminense, São Paulo e Coritiba. Porém, do outro lado estava um treinador muito mais experiente

Depois de ter comandado a Seleção Brasileira, Luxemburgo voltava ao Corinthians, que em 2000 havia conquistado o Mundial de Clubes organizado pela Fifa no Brasil. Para aumentar o favoritismo paulista, no jogo de ida, em Porto Alegre, o resultado havia sido um empate por 2 a 2 – onde o Tricolor chegou a estar perdendo por 2 a 0.

Na grande decisão, no Morumbi, o Corinthians jogava com a vantagem do empate sem gols. Porém, contrariando todos os prognósticos, o Grêmio saiu na frente com o zagueiro Marinho aparando escanteio no final do primeiro tempo. Para desespero dos anfitriões, o experiente meia Zinho tratou de ampliar o marcador na volta do intervalo. O atacante Éwerthon chegou a descontar aos 29 minutos, mas, já na reta final da partida, Marcelinho Paraíba recebeu passe de Fábio Baiano e, com o gol escancarado, decretou o placar final: 3 a 1.

— Lembro que na comemoração o Tite não se conteve e invadiu o campo, veio abraçar a gente perto do gol, parece que ele foi até expulso, mas já estava no finalzinho e a gente pôde comemorar. O Grêmio foi merecedor pelo futebol que apresentou e até hoje eu lembro — destacou o meia-atacante Marcelinho Paraíba em entrevista à Rádio Gaúcha no início deste ano.

Além de consolidar Tite no cenário nacional, a conquista do Grêmio ainda fez com que outros treinadores copiassem aquele sistema tático, com três zagueiros. Do Athletico-PR, que seria campeão brasileiro no final do ano sob o comando de Geninho, à Seleção Brasileira que conquistaria a Copa do Mundo no ano seguinte, sob a batuta de Felipão.

Ficha técnica: Corinthians 1×3 Grêmio

Jogo de volta da final da Copa do Brasil de 2001
Data: 17/06/2001
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Corinthians: Maurício; Rogério (Andrezinho), Scheidt, João Carlos e Kléber; Otacílio, Marcos Senna (Pereira), Ricardinho e Marcelinho; Ewerthon e Müller (Gil). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
Grêmio: Danrlei; Marinho, Mauro Galvão (Alex Xavier) e Roger; Anderson Lima (Itaqui), Anderson Polga, Tinga, Zinho e Rubens Cardoso; Marcelinho Paraíba e Luís Mário (Fábio Baiano). Técnico: Tite.
Gols: Marinho, aos 42 minutos do primeiro tempo, Zinho, no primeiro minuto, Éwerthon, aos 29, e Marcelinho Paraíba, aos 42 minutos do segundo tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *