Conheça os acordos de Grêmio e Inter com atletas para adaptar cofres à pandemia

Compartilhe

Nos últimos dias, o Rio Grande do Sul foi tomado por uma “grenalização” inesperada. Se criou uma disputa entre torcidas para saber qual dos clubes havia feito o melhor acordo junto ao grupo de jogadores para adaptar as suas finanças à realidade imposta pela pandemia de coronavírus. O fato é que, cada um a seu modo, Grêmio e Internacional se sentiram contemplados com o desfecho da situação.

 O Tricolor, em um primeiro momento, conseguiu a suspensão do pagamento de direitos de imagem (40% do total da folha) dos meses de abril, maio e junho. Esses valores serão compensados entre janeiro e dezembro de 2021. Em uma segunda tratativa, os atletas concordaram em manter a suspensão para julho, agosto e setembro, somando-se a isso mais 15% do salário em carteira. Este montante será pago a partir de janeiro, terminando apenas em dezembro de 2022.


“Essa negociação nos deu a condição de reorganizar o nosso fluxo. A gente está adequando o que recebe com o que vai pagar. Desde o primeiro momento, os jogadores foram sensíveis a isso e muito responsáveis. Foi criada uma situação de concordância entre as duas partes. Os jogadores foram parceiros do clube e aceitaram essa negociação”, disse o presidente Romildo Bolzan Júnior.

No Colorado, o repasse dos direitos de imagem de fevereiro, março e abril ficou postergado para 2021, com o pagamento ocorrendo em seis parcelas a partir de janeiro. Também houve a redução de 25% dos salários vinculados à CLT por 90 dias ou até a bola voltar a rolar. Os jogadores, porém, não receberão esses valores no futuro. Para aceitar isso, apenas colocaram como condição que a direção não fizesse mais demissões de funcionários. “Foi fundamental para a viabilidade do clube. Esse esforço significa a manutenção de mais de 400 famílias que são empregadas no Beira-Rio. O gesto dos atletas foi fundamental”, afirmou o vice de futebol Alessandro Barcellos. A partir disso, as duas equipes conseguem manter minimamente os compromissos em dia, sem ter que lidar com eventuais (novos) atrasos. Agora, se o futebol demorar a voltar mais do que o previsto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *