Terremoto de 4.9 atinge Porto rico, e deixa estragos

Compartilhe

Rede Sísmica de Porto Rico (RSPR) ajustou esta manhã para 4,9 a magnitude do tremor que ocorreu às 9h54 de hoje, sexta-feira, a sudoeste e foi sentido em vários pontos da ilha.

O terremoto não gerou nenhum alerta de tsunami, alerta ou vigilância.

Antes, o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) relatou uma magnitude preliminar de 5,1.

O epicentro do terremoto foi localizado na área de La Parguera, em Lajas, com uma profundidade de 6 quilômetros e 8,79 quilômetros ao sudeste de Lajas, onde a intensidade era V.

Usuários das redes sociais de El Nuevo Día relataram ter sentido o terremoto de cidades como Bayamón, Guaynabo, Aguada, Hatillo, Vega Baja, Arecibo, Cabo Rojo, Rio Grande, Cataño, San Juan, Barranquitas, Carolina, entre outros.

Em Lajas, uma residência desmoronou , embora o prefeito Marcos “Turin” Irizarry tenha indicado que já havia sido despejado devido aos danos sofridos pelos constantes terremotos na parte sudoeste da ilha.

“O evento foi forte. No momento, uma casa desabou e já havia sido afetada por outros eventos. Está localizada no setor Magüayo. A casa já havia sido despejada por ter sido severamente afetada e, apesar de ter resistência naquele momento, neste ocasião desabou “, disse o prefeito em uma entrevista por telefone.

Depois de saber o que aconteceu, o governador Wanda Vázquez Garced disponibilizou os recursos do Bureau de Gerenciamento de Emergências e Administração de Desastres (NMEAD) aos municípios.

“Diante do terremoto desta manhã e do colapso de uma casa em Lajas, conversei com o prefeito Marcos Irizarry, que nos informou que a casa está desabitada. Reitero à sua disposição, assim como permanecemos ativos e vigilantes com a equipe da NMEAD ” , o presidente twittou.

Por sua parte, o executivo municipal de Guánica, Santos Seda , mencionou que a análise preliminar do Escritório de Gerenciamento de Emergências concluiu que não havia danos estruturais como resultado do terremoto.

“Estruturalmente, somos iguais, não houve mudanças. Sempre que ocorre algo entre 4,5 e 4, revive as emoções de todos nós, mas estamos bem”, disse ele em entrevista por telefone.

“Agora estamos verificando com as unidades de gerenciamento de emergência que todos estão sob controle e que não há problema”, acrescentou o funcionário.

Na segunda-feira passada, Seda informou que o Coliseu Mariano “Tito” Rodríguez, o principal refúgio municipal de Guánica, foi fechado devido aos danos sofridos pelos tremores.

Enquanto isso, a prefeita de Ponce, Maria “Mayita” Meléndez , pediu aos cidadãos que mantenham a calma.

“Nenhum dano foi relatado em nosso município, o trabalho de inspeção correspondente está sendo realizado”, informou ele em um post no Facebook.

No entanto, um cidadão, que disse estar caminhando nos arredores da Pontifícia Universidade Católica, em Ponce, quando o tremor passou, compartilhou uma foto de uma vara que se rompeu perto dele durante o terremoto em El Nuevo Día .

Meses de tremores

Esses tremores são os mais recentes de uma série de movimentos telúricos que começaram em dezembro de 2019 e afetaram principalmente os municípios das áreas sul e sudoeste.

A sequência começou em 28 de dezembro de 2019 com um terremoto de magnitude 4,7 e outro de magnitude 5,0 no dia seguinte.

Enquanto isso, em 6 de janeiro, houve um tremor de magnitude 5,8, seguido por um terremoto de magnitude 6,4 na manhã de 7 de janeiro.

Os tremores causaram danos estimados em US $ 8,3 bilhões, de acordo com a primeira estimativa apresentada pelo governador Wanda Váz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *