Guedes diz que programa de reforma tributária está pronto e falta acordo político

Compartilhe

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse há pouco que o programa de reforma tributária está pronto para ser disparado e que agora é preciso avançar no acordo político.

“Vamos conseguir gerar empregos com investimentos, redução de impostos sobre folha, simplificação de impostos”, disse em live promovida pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib).

Segundo Guedes, o Brasil precisa acenar com a queda de impostos sobre empresas, mas que para isso precisa ampliar a base de tributação. “O Brasil tributa demais o consumo e de menos a renda”, afirmou, acrescentando que é melhor ter base mais ampla, como tributação de operações digitais.

De acordo com ele, o governo irá dar os passos iniciais da reforma tributária lançando o IVA federal e convidando Estados para integrar o ICMS nessa base.

“Vamos colocar impostos sobre dividendos”, disse, acrescentando que não quer tributar empresas. “Não é razoável que alguém que vive de capital pague zero de imposto de renda sobre dividendos”, disse.

Segundo ele, o país também precisa avançar em medidas como a autonomia do Banco Central. “Vamos juntar Bolsa Família com dois ou três programas sociais e criar o Renda Brasil. Vamos incluir alguns milhões de invisíveis”, acrescentou.

Investimentos públicos

O ministro da Economia disse que para fazer um programa de investimentos públicos o país precisará aumentar impostos, emitir moeda e gerar inflação. “Tem que vir recurso de algum lugar”, disse.

Segundo ele, se o Pro Brasil for uma coleção de investimentos e marcos regulatórios, é a favor do programa. “Se for para cavar mais fundo o buraco anterior, sou contra”, acrescentou. “Quer empacotar o Brasil faz um novo PAC.”

O ministro afirmou que todos do governo concordam que o caminho para retomada passa pelos investimentos. Mas esse processo precisa ser comandado pelo setor privado. “Quem vai investir? O mundo inteiro. Não é o setor público.”

Guedes disse que os militares perderam a “capacidade de manter o regime porque o modelo de crescimento daquele período foi se exaurindo”. Segundo ele, uma economia planificada “começa a cometer erros depois de um tempo”. “Sucesso é por meio de inteligência descentralizada.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *