O que esperar do meia Claudinho, reforço do Cruzeiro?

Compartilhe

Nesta quinta-feira, a quarta contratação da era Enderson Moreira desembarca em Belo Horizonte. Claudinho, de 19 anos, terá 70% dos direitos econômicos comprados pela Raposa, que pagará cerca de R$ 3 milhões, com ajuda de investidores. Revelado pela Ferroviária, que ficou com 30% dos direitos, ele chega com um contrato de cinco anos com a Raposa. Mas o que o jovem jogador chega para acrescentar ao time cruzeirense?

O jornalista Carlos Neto acompanhou a ascensão de Claudinho na Ferroviária e comentou sobre as habilidades do jogador de 19 anos.

-Um jogador habilidoso, mas não é “firulento”, que fica fazendo graça. Ele usa como recurso para acionar um jogador ou abrir um jogo, para encontrar espaços. É especialista em encontrar espaços no jogo. E ele faz com habilidade, passe ou arrancadas. Ele cai muito pelos dois lados do campo. Ele tendo essa liberdade e vendo uma brecha, com uma sintonia com o colega, inverte bastante os lados. Ele não é muito de atuar no meio. Não é um goleador, mas é muito objetivo e tem potencial de crescimento muito grande – destacou Neto, que completou sobre a expectativa no Cruzeiro.

-Se o técnico tiver paciência, ele vai crescer. Ele é muito obediente taticamente, apesar da habilidade que tem, que poderia enfileirar alguns adversários. Se for usado com cautela, o que todo jovem promessa precisa ter, com certeza vai estourar no Cruzeiro e se tornar um grande jogador – acredita o jornalista que cobre a Ferroviária.

O jogador já deu sinais do que pode fazer durante o Campeonato Paulista, inclusive ganhando a titularidade, mas ainda precisa corrigir algumas situações para conseguir se destacar mais ainda.

-Claudinho se mostrou um meia-atacante ágil e criativo, com facilidade pra atuar pelas posições mais centrais do campo e trabalhar, principalmente, na articulação do time. Apesar de muito jovem, deu sinais muito positivos no Paulista, a ponto de convencer o técnico Sérgio Soares a dar a ele uma sequência como titular no time principal, queimando etapas. Jogador com talento, mas que ainda sofre dos problemas que os jovens têm no primeiro ano como profissional: individualismo em excesso e alguma dificuldade para manter a concentração e a intensidade nos 90 minutos. Tudo isso pode ser corrigido com facilidade. Achei a contratação interessante, exatamente para um setor carente do time.

Claudinho foi revelado nas categorias de base da Ferroviária, disputou uma Copa São Paulo, com dois gols em quatro jogos, e fez dois gols pelo profissional, contra o Águia Negra-MS, pela Copa do Brasil. Ele se tornou titular na equipe comandada por Sérgio Soares, que foi demitido durante a paralisação por causa da pandemia do novo coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *