EUA aproximam mundo de uma guerra nuclear diz Rússia

Compartilhe

FM Lavrov diz estar ‘preocupado’ com a recusa dos EUA em reafirmar a impossibilidade de uma guerra nuclear, seu acúmulo de armas nucleares de baixo rendimento

O risco de uma guerra nuclear aumentou significativamente nos últimos anos devido à falta de vontade dos EUA de reafirmar sua impossibilidade, disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia na sexta-feira.

“Estamos particularmente preocupados com a recusa de dois anos dos americanos em reafirmar o princípio fundamental, o postulado de que não pode haver vencedores em uma guerra nuclear e, portanto, isso nunca pode ser desencadeado”, disse Sergey Lavrov durante seu discurso na videoconferência do Fórum de Leituras Primakov em Moscou.

Ele argumentou que Washington está destruindo o mecanismo internacional de controle de armas para ter “mãos livres na escolha de meios de pressão, incluindo força, em qualquer ponto do globo – não importa qual seja o preço” com o objetivo final de obter o domínio e vitória “no que eles chamam de rivalidade das grandes potências”.

“Isso é particularmente perturbador no contexto das mudanças doutrinárias nas atitudes da liderança política americana, que agora permitem o uso limitado de armas nucleares”, disse Lavrov.

Washington toma medidas práticas para apoiar as mudanças doutrinárias, desenvolvendo e aumentando o arsenal nuclear de baixo rendimento, acrescentou.

Lavrov disse que os EUA usaram a “ameaça russa” para fazer as alterações necessárias, dizendo que a Rússia tem uma parte secreta de sua doutrina militar, que o ministro negou.

Para os pedidos de Moscou de reafirmar a impossibilidade de uma guerra nuclear, entregue por escrito, Washington responde que ainda está examinando o documento, mas pelo comentário deles o lado russo percebe que gostaria de enfraquecer a categorização desse axioma, disse ele.

Nos últimos anos, os EUA cancelaram seu sinal sob vários tratados de controle de armas, incluindo os tratados de forças nucleares de alcance intermediário, céu aberto e mísseis anti-balísticos, considerados pilares da segurança internacional.

O último acordo existente – Tratado de Redução de Armas Estratégicas – expirará em 2021 e Lavrov prevê que os EUA não concordarão em expandi-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *