Alvo do Atlético-MG: processo do goleiro Everson contra o Santos cita “sondagem de outros clubes”

Compartilhe

O Atlético-MG já havia se reforçado na posição de goleiro se fazendo valer da saída de Rafael do Cruzeiro via ação judicial. Pelo mesmo caminho, o Galo quer também contratar o goleiro Everson, do Santos. Ele entrou na Justiça contra o clube paulista, no último sábado e, apesar de não citar diretamente o Galo nas alegações, argumenta que a rescisão com o Peixe precisa ser feita em forma de liminar, uma vez que “há sondagens de outros clubes”.

Sampaoli e Everson trabalharam juntos no Santos e o goleiro é visto pelo treinador como opção ideal para a posição, pela exigência de jogar bem com os pés. O Galo contratou Rafael em março, sendo que o ex-jogador do rival Cruzeiro fez apenas um jogo. Ele trocou de lado em Belo Horizonte na esperança de ser titular – após anos na reserva de Fábio. E se Everson acertar com o Galo, a chance de o cenário se repetir é grande.

O Santos está inadimplente com Everson no que diz respeito a direitos de imagem (cinco meses), ao depósito do FGTS (três meses) e pagamento não integral dos salários entre abril e junho de 2020. O valor da causa é de R$ 7 milhões. A ação trabalhista contém pedido de “tutela provisória”. O objetivo é que o juiz da ação determine a quebra contratual entre Everson e Santos de forma mais urgente, antes mesmo de analisar o mérito da ação trabalhista.

A esperança do Atlético está justamente nesta questão da liminar, mesmo que haja riscos de o Santos, caso a tutela seja deferida, tente cassar a decisão provisória da Justiça. É algo que aconteceu, por exemplo, com o Fluminense na saída de Fred do Cruzeiro.

Na ação judicial, que corre em segredo de justiça, os advogados de Everson requerem a tutela e cita um dos aspectos para validar o pedido, que seria o “perigo de dano”. Ou seja, o perigo que o reclamante trabalhista corre caso a liminar não seja concedida. Neste ponto é que se encontra a citação de sondagens.

Everson alega que o Campeonato Brasileiro está para começar e é o momento em que as equipes se reformulam e, por isso, é o momento oportuno para encontrar um novo time “que honre com seus compromissos e assim possa prover o sustento da sua família”.

“Sendo assim, a liberação do reclamante neste momento, de forma célere, é fundamental para o prosseguimento de sua carreira, e para que possa se recolocar no mercado, livrando-se de um empregador que não cumpre com as obrigações básicas. Inclusive, o reclamante já foi sondado por outros clubes, porém o vínculo com o reclamado impossibilita que o reclamante continue com as negociações” (diz trecho da petição inicial de Everson contra o Santos)

O Atlético pode se beneficiar de um efeito colateral da pandemia que o próprio Sérgio Sette Câmara chegou a alertar. Com dificuldades financeiras, os clubes brasileiros atrasariam salários e outras verbas com os jogadores. E a Lei Pelé permite e rescisão unilateral do contrato de trabalho em caso de atraso de três meses dos vencimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *