BH tem trânsito carregado e movimento intenso em dia de nova retomada do comércio

Compartilhe

Depois de mais de um mês, Belo Horizonte reabre novamente o comércio e os estabelecimentos considerados não essenciais a partir desta quinta-feira. A medida é vista pela prefeitura como segura para a população mesmo com a pandemia do novo coronavírus ainda presente na cidade e no estado.

A maioria dos serviços que serão retomados nesta quinta funcionarão a partir das 11h. Mesmo assim, os efeitos da reabertura são perceptíveis. Segundo a Prefeitura de BH, 35 mil estabelecimentos vão abrir novamente e 72 mil trabalhadores retornarão às ruas.

A reportagem do Estado de Minas esteve no Centro de BH nesta manhã. Pontos de ônibus e os próprios veículos seguiram cheios, algo que não mudou durante o período da pandemia. O movimento nas ruas também se intensificou, já que alguns trabalhadores chegaram antes da abertura do comércio para preparar o estabelecimento para a reabertura.

Foi o caso dos funcionários da loja de roupas Pimenta Rosa, na Rua dos Carijós, no Centro. Eles prepararam o estabelecimento para uma inauguração da terceira unidade da franquia na Região Central.

“Estamos nos preparando para, na verdade, uma abertura, já que iríamos inaugurar esta unidade em março deste ano. Pedimos para os funcionários chegarem cedo e ajudar na organização para essa inauguração, que será mais oficial na semana que vem”, contou Franciele Parreiras, de 28 anos, proprietária da unidade.

A partir desta quinta-feira, BH estará na fase 1 da reabertura gradual do comércio depois de fechamento devido à pandemia do novo coronavírus. O município decidiu, em um primeiro momento, limitar os dias para abertura (de quinta a sábado), para trabalhar com menor fluxo de pessoas nas ruas. Depois, as atividades serão retomadas a partir da próxima quarta.

Veja, abaixo, o cronograma de funcionamento

 Primeira semana da Fase 1 (de 6 a 8 de agosto):

• Todo o comércio varejista não contemplado na fase de controle: Estabelecimentos de rua, centros de comércio e galerias de lojas: quinta a sábado, entre 11h e 19h. • Comércio atacadista da cadeia do comércio varejista da Fase 1 (incluindo vestuário): quinta a sábado, entre 11h e 19h. • Cabeleireiros, manicures e pedicures: quinta a sábado, entre 11h e 20h.

• Shopping centers, centros de comércio e galerias de lojas: quinta a sábado, entre 12h e 20h. Praças de alimentação funcionarão somente por delivery ou retirada, sem consumo no local.

• Atividades no formato drive-in: sexta a domingo, de 14h às 23h.

Segunda semana em diante da Fase 1 (a partir de 12 de agosto):

• Todo o comércio varejista não contemplado na fase de controle: Estabelecimentos de rua, centros de comércio e galerias de lojas: quarta a sexta,  entre 11h e 19h.

• Comércio atacadista da cadeia do comércio varejista da Fase 1 (incluindo vestuário): quarta a sexta, entre 11h e 19h.

• Cabeleireiros, manicures e pedicures: quinta a sábado, entre 11h e 20h.

• Shopping centers, centros de comércio e galerias de lojas: quarta a sexta, entre 12h e 20h. Praças de alimentação funcionarão somente por delivery ou retirada, sem consumo no local.

• Atividades no formato drive-in: sexta a domingo, das 14h às 23h. A atividade comercial em BH está limitada desde 20 de março. Entre 25 de maio e 26 de junho, a cidade tentou flexibilizar a quarentena e liberar o funcionamento de alguns setores do comércio varejista. Porém, a capital mineira voltou à “fase zero” – apenas os serviços essenciais poderiam funcionar – com o avanço da COVID-19 no município e em Minas Gerais. Nessa quarta-feira, a Prefeitura de BH confirmou que o total de casos confirmados chega a 22.676. na cidade, sendo 3.156 em recuperação e 18.905 já recuperados. A COVID-19 matou 615 pessoas, ainda de acordo com os dados do Executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *