Dois Mundos, Um Sol: veja o mesmo pôr do Sol na Terra e em Marte

Compartilhe
Imagens capturadas pela Nasa mostram o tom azulado do céu marciano

O pôr do Sol é um dos momentos mais bonitos do dia. Pessoas em todo o mundo param suas atividades para registrar o céu alaranjado no fim da tarde – alguns até aplaudem. Mas você já se perguntou como é o pôr do Sol em outro planeta? Neste domingo (2), a Nasa resolveu saciar nossa curiosidade e mostrou que o fenômeno em Marte é bem diferente do que vemos na Terra.

A agência espacial dos Estados Unidos divulgou duas fotos que mostram o pôr do Sol em Marseille, na França, no dia 18 de maio de 2012, ao lado de outra imagem similar, mas registrada em Elysium Planitia, em Marte, no dia 15 de abril de 2015. A montagem das fotos foi chamada de “Dois Mundos, Um Sol”. Confira

Pôr do Sol em Marseille (esq.) e em Elysium Planitia (dir.). Imagem: Nasa

Observando as duas fotos lado a lado, observa-se a diferença no tamanho do Sol. De acordo com a Nasa, o Sol é ligeiramente menor quando visto de Marte, já que o planeta vermelho está 50% mais distante da estrela do que a Terra. Outro fato que chama a atenção é a diferença de cor: em vez do típico alaranjado que vemos diariamente, o pôr do Sol marciano é visivelmente mais azulado.

“A razão para os tons azuis de Marte não é totalmente compreendida, mas se pensa que esteja relacionada às propriedades de dispersão da poeira marciana”, explicou a agência. A fotografia marciana foi feita pelo rover Curiosity, de dentro da cratera Gale.

Ambas as imagens foram escaladas para terem a mesma largura angular, mas são um pouco antigas. Porém, segundo a Nasa, um novo robô foi enviado a Marte na semana passada, assim como um helicóptero – a bordo da missão Mars 2020. Portanto, é possível que novas imagens apareçam daqui a alguns meses.

Curiosity completa oito anos em Marte

Nas últimas semanas todas as atenções estiveram focadas no Perseverance, novo rover da Nasa que está a caminho de Marte. Mas seu irmão mais velho, o Curiosity, completou nesta quarta-feira (5) oito anos de exploração do planeta vermelho.

Sua missão originalmente estava programada para durar 1 ano marciano, poucou menos de dois anos terrestres, e sua longevidade superou as expectativas. Durante sua estadia o Curiosity perfurou 27 amostras de rochas, coletou seis amostras de solo e percorreu mais de 23 quilômetros, segundo a Nasa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *