Ibovespa cai e dólar supera R$ 5,40 em meio ao aumento das tensões entre EUA e China

Compartilhe

O Ibovespa opera em queda nesta sexta-feira (7) em meio aos ataques do presidente americano Donald Trump a empresas chinesas. Trump assinou ordens executivas proibindo os residentes dos EUA de realizarem negócios com os proprietários dos aplicativos WeChat e TikTok. O banimento é válido por 45 dias e foi feito com a justificativa de que os dados pessoais dos americanos estão expostos.

Também nos EUA, o Relatório de Emprego dos Estados Unidos mostrou dados melhores que os esperados, contrariando as preocupações que se instalaram depois do ADP da última quarta-feira (5).

Por aqui, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve alta de 0,36% em julho na comparação mensal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A expectativa mediana dos economistas compilada no consenso Bloomberg era de alta de 0,35% na base de comparação mensal e de 2,30% na comparação anual.

Às 12h42 (horário de Brasília) o Ibovespa cai 0,91% a 103.178 pontos.

Enquanto isso, o dólar comercial sobe 1,55% a R$ 5,4249 na compra e a R$ 5,4259 na venda, atingindo seu maior patamar em um mês. Já o dólar futuro para setembro tem alta de 1,77% a R$ 5,434.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 sobe sete pontos-base a 2,63%, o DI para janeiro de 2023 tem variação positiva de nove pontos-base a 3,71% e o DI para janeiro de 2025 avança 13 pontos-base a 5,38%.

Além do conflito geopolítico, os investidores estão de olho nos dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos, que serão divulgados nesta manhã.

Entre os indicadores econômicos da Ásia, o saldo comercial da China subiu inesperadamente em julho para US$ 62 bilhões, após surpresas com alta das exportações e queda das importações. As exportações da China aumentaram em julho com fortalecimento da demanda global e embarques aos EUA.

A semana também chega ao fim sem um acordo entre democratas e republicanos em relação a um novo pacote de alívio para a economia americana, que sente os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

E no Brasil, a temporada de balanços vai mostrando como a pandemia da Covid-19 afetou as empresas. A construtora Tenda registrou recuo de 45% no lucro e a Multiplan, de 39%. Já a Valid apresentou prejuízo.

O setor bancário deve repercutir o projeto de lei aprovado pelo Senado que estabelece um teto para taxas de juros de cheque especial e cartão de crédito enquanto durar o estado de calamidade pública imposto pela pandemia.

Auxílio emergencial

O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, admitiu a possibilidade de o governo estender novamente a duração do auxílio emergencial. Segundo ele, essa decisão será política e dependerá da situação da economia e a discussão deve ocorrer ainda neste mês.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defende desde o começo do programa que o valor concedido seja de R$ 200, mas a tese foi vencida após pressões do Congresso e quantia subiu para R$ 600. Na equipe econômica, a sugestão é de novamente cortar o valor do benefício.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *