4 milhões de abelhas morrem em 2 dias na Itália fenômeno segue sem explicação

Compartilhe

Morte misteriosa de abelhas no norte da Itália descrita como “catástrofe”.

Autoridades florestais italianas estão conduzindo uma investigação sobre a morte inexplicada de cerca de quatro milhões de abelhas que morreram em uma pequena área entre Brescia e Cremona, no norte da Itália, relata o jornal italiano Il Fatto Quotidiano .

As abelhas morreram durante a noite, entre a noite de 7 de agosto e a manhã de 8 de agosto, no que a associação de agricultores Coldiretti descreveu como uma “catástrofe”, dada a importância desses insetos polinizadores tão vitais para a biodiversidade.

Testes estão sendo realizados nas abelhas mortas e em seu mel na tentativa de apurar a causa de sua morte súbita, que ocorreu em uma área de cerca de seis quilômetros e afetou 130 famílias de abelhas.

fenômeno afetou uma área de 6 quilômetros, tocando as localidades de Brescia de Acqualunga, no povoado de Borgo San Giacomo, Bompensiero e Villagana, que fazem parte do povoado de Villachiara. Já na região de Cremona, as localidades de Genivolta e Azzanello foram atingidas.

Desesperado, Edoardo Mombelli, um dos apicultores de Quinzano d’Oglio (Brescia). Entrevistado pelo jornal Brescia, comenta a gravíssima situação: “Na minha experiência de apicultor nunca presenciei um fenômeno tão violento e massivo, verdadeiramente inexplicável até para os companheiros apicultores da região. O equilíbrio é pesado e ainda não é definitivo, mas vamos nos comprometer recuperar o património apícola local o mais rapidamente possível. Felizmente esta é uma área limitada, as colmeias localizadas nos concelhos vizinhos e noutras zonas da província não tiveram problemas ” .

É fundamental entender o mais rápido possível o que pode ter causado a morte , a fim de evitar que o fenômeno se espalhe para outras áreas. O dano relatado pelas empresas Brescia é importante: só na província, de fato, se produzem toneladas de mel, mas também de cera e própolis.

Segundo informou Coldiretti-Brescia, que acompanha o caso com a maior atenção, os homens da silvicultura em conjunto com as autoridades sanitárias já tomaram providências para colher amostras de mel e capturar algumas abelhas. Os insetos, junto com seu produto principal, serão examinados na esperança de poderem colher mais informações. A primeira hipótese é o envenenamento por algum produto químico.

A morte de abelhas é hoje um problema sério que afeta o mundo inteiro. De acordo com os últimos estudos da Universidade de Berna, este é um fenômeno constante e preocupante. Uma em cada dez espécies está em risco de extinção . Um desastre anunciado, se considerarmos que a presença de abelhas também é essencial para a sobrevivência de 90% das plantas com flores silvestres, que também precisam desses pequenos insetos para se reproduzirem por meio da polinização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *