Aviões israelenses bombardeiam Gaza pela sétima noite seguida

Compartilhe

Os ataques aéreos israelenses ocorreram no momento em que autoridades egípcias chegam para neutralizar o último aumento da violência.

Os ataques a Gaza continuaram pela sétima noite consecutiva enquanto aviões de guerra israelenses visavam postos de observação do Hamas no que o exército israelense disse ser uma resposta aos ataques de balões de fogo palestinos através da fronteira.

Os ataques aéreos de terça-feira ocorreram enquanto oficiais de segurança egípcios em visita se esforçavam para neutralizar o último aumento da violência.

“Caças e [outras] aeronaves atingiram infraestruturas subterrâneas pertencentes ao Hamas na Faixa de Gaza”, disse um comunicado militar israelense, ligando o ataque a “balões explosivos e incendiários lançados da Faixa de Gaza para Israel”.

Fontes de segurança de Gaza e testemunhas disseram que as batidas de terça-feira atingiram postos de vigia do Hamas em Rafah, no sul do território, e Beit Lahia, no norte.

As tensões vêm aumentando há mais de uma semana, com Israel acusando o Hamas de disparar foguetes e lançar pacotes de balões na fronteira equipados com dispositivos incendiários ou explosivos.

Israel fechou a passagem de mercadorias de Karem Abu Salem ( Kerem Shalom) com a Faixa de Gaza, proibiu a pesca na costa de Gaza e realizou ataques aéreos noturnos por sete noites.

O território palestino está sob um bloqueio israelense paralisante desde 2007, com Israel citando ameaças de segurança do Hamas por seu bloqueio terrestre, aéreo e naval.

Uma fonte do Hamas disse à agência de notícias AFP que o grupo manteve conversações com a delegação egípcia em Gaza na segunda-feira, antes que a delegação partisse para reuniões com os israelenses e a Autoridade Palestina ocupada com base na Cisjordânia.

Esperava-se que ele retornasse a Gaza após essas negociações, acrescentou a fonte

“A ocupação continuou sua agressão e levou a cabo ataques aéreos em Gaza depois da meia-noite”, disse a fonte do Hamas, acrescentando que os ataques foram vistos como uma “resposta negativa” às antenas de trégua.

Não houve vítimas nas incursões, acrescentou.

Apesar de uma trégua no ano passado – apoiada pelo Egito, Catar e pela ONU – as tensões entre o Hamas e Israel aumentam esporadicamente.

O Hamas diz que Israel não honrou entendimentos anteriores que estipulavam que Israel aliviaria o bloqueio que impôs a Gaza desde a aquisição do Hamas e permitiria projetos de grande escala para ajudar a resgatar a economia em colapso.

A única usina de energia em Gaza está programada para fechar devido ao fechamento da passagem, que cortou o fornecimento de combustível, exacerbou a crise de energia e deixou os dois milhões de residentes de Gaza com cerca de quatro horas de eletricidade por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *