Jovens israelenses descobrem moedas de ouro de 1.100 anos da era abássida

Compartilhe

Jovens voluntários em uma escavação arqueológica no centro de Israel encontraram 425 moedas de ouro enterradas em uma jarra de barro por 1.100 anos.

A maior parte do dinheiro remonta ao início do período islâmico, quando a região fazia parte do califado abássida.

As moedas pesam 845g (30oz) e teriam valido uma grande soma quando foram enterradas – o suficiente para comprar uma casa luxuosa em uma das cidades do califado.

Quem era o dono do cache e por que eles nunca voltaram para coletá-lo é um mistério.

“A pessoa que enterrou este tesouro 1.100 anos atrás deve ter esperado recuperá-lo, e até mesmo prendeu a embarcação com um prego para que não se movesse”, os diretores da escavação, Liat Nadav-Ziv e Elie Haddad, do Israel Antiquities Autoridade, disse em um comunicado.

Eles acrescentaram: “Encontrar moedas de ouro, certamente em quantidade tão considerável, é extremamente raro. Quase nunca as encontramos em escavações arqueológicas, visto que o ouro sempre foi extremamente valioso, derretido e reutilizado de geração em geração.”

O jovem que descobriu o tesouro, Oz Cohen, disse: “Foi incrível. Cavei no chão e quando cavei o solo, vi o que parecia ser folhas muito finas. Quando olhei de novo, vi que eram moedas de ouro.”

Robert Kool, um especialista em moedas, disse que o cache consistia em dinares inteiros de ouro, mas também 270 pequenos fragmentos de ouro – pedaços de dinares cortados para servir como “um pequeno troco”.

Ele acrescentou que um dos cortes era um fragmento de um solidus de ouro do imperador bizantino Teófilo cunhado em Constantinopla, que era uma rara evidência material das conexões contínuas entre os dois impérios rivais durante esse período.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *