PGR é contra ação que questiona foro privilegiado de Flávio por rachadinha

Compartilhe

A PGR (Procuradoria Geral da República) contrariou o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) a respeito do foro privilegiado para o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). A Promotoria pede para que o caso da “rachadinha” envolvendo o parlamentar retorne à primeira instância. Em parecer entregue ontem ao STF (Supremo Tribunal Federal), o vice-procurador-geral Humberto Jacques de Medeiros disse que o MP fluminense pede “um entendimento ainda não firmado” pela Justiça sobre o tema.

Medeiros pontua que a discussão sobre foro no caso de “parlamentar estadual que virou senador e está respondendo por atos que teriam sido praticados no exercício da função de deputado estadual” ainda não foi tratada pelo Supremo. Para o vice-procurador-geral, “há diversas hipóteses e situações que não foram ainda pacificadas pelo Supremo Tribunal Federal”. “É normal que isso aconteça. É do sistema. O entendimento firmado pelo Supremo Tribunal Federal ainda está sendo decantado pelo corpo do Poder Judiciário.” [ x ] Em junho, o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) aceitou um pedido de Flávio —filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido)— para que a investigação para que a investigação vá para o Órgão Especial da Corte fluminense, o que confere foro privilegiado ao parlamentar. O MP é contra e diz que o caso pertence à primeira instância e que o TJ descumpriu decisões do STF em relação a foro privilegiado. Ao STF, o TJ disse que a decisão de dar foro privilegiado a Flávio pode ser “inédita”, mas não é “absurda, inadequada ou ofensiva”. A decisão sobre o pedido do MP caberá ao ministro do STF Gilmar Mendes. Não há prazo para que ele se manifeste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *