Dieta reversa é eficaz e saudável para perda de peso?

Compartilhe

Perder peso é algo que vai muito além da estética. Trata-se de manter o corpo saudável, consumindo alimentos nutritivos, de forma a se evitar alguma doença posterior. Assim, quando uma pessoa está acima do seu peso ideal, não é preciso buscar quais as melhores dietas. Em contrapartida, a dieta reversa vem atraindo mais popularidade para si.

É um método que consiste em manter uma boa alimentação após ter atingido a meta de emagrecimento, para não adquirir todas as calorias novamente. Caso o retorno ao antigo hábito alimentar seja feito de forma displicente, todo o esforço será em vão, fazendo com que o peso volte a aumentar conforme as calorias ingeridas.

A dieta reversa é realmente eficiente?

Esse efeito de ganha e perda de peso é conhecido como dieta ioiô, gerando um atrito entre o indivíduo e os alimentos consumidos, sendo totalmente prejudicial ao organismo, segundo a Europe PMC.  A dieta reversa é como um momento de transição, que irá ligar o período de baixa ingestão calórica, com a volta de uma alimentação “normal”.

A proposta dessa dieta é fazer com que o organismo e o metabolismo atuem ao mesmo tempo. Enquanto ocorre a ingestão de uma alimentação normal, sem que o indivíduo ganhe peso. Mesmo não existindo nenhuma comprovação científica sobre essa dieta, algumas teorias sobre as rotas metabólicas já foram descritas anteriormente.

Estudos revelam que em nosso corpo existe a presença de “pontos de ajustes”, locais que são controlados pelo metabolismo biológico e, sempre que houver excessos no consumo, o ganho de peso será notório. Porém, existem casos onde os pesquisadores são contra a manipulação no índice calórico seguindo à risca uma dieta. Esse olhar negativo advém de fatores genéticos e alimentar, onde uma mesma dieta poderá ser eficaz para um indivíduo e ineficaz para outro.

A taxa metabólica basal é a responsável pelo uso de 70% de toda as calorias ingeridas. Quando existe uma ingestão que não atinja essa porcentagem, a perda de peso acontecerá, no entanto, o emagrecimento virá junto de algum problema de saúde. Assim, a dieta reversa só conseguirá controlar a quantidade de calorias ingeridas, uma vez que não existem provas científicas de uma alteração metabólica ao consumir poucas calorias.

Alimentação pós-dieta

Ficar tanto tempo sem comer chocolates, hambúrgueres, frituras e gorduras é um ato heroico. No entanto, após um tempo seguindo a restrição de alimentos, será obtido uma maior resistência a ausência dessas comidas fora do cardápio.

Para quem defende o método reverso de alimentação, um plano alimentar pós-dieta é o suficiente para conseguir calar todos os desejos por comidas calóricas. No meio científico, a única comprovação que demonstra tal eficácia é que, quanto menor o desejo, menor a chance de comer e menor a tendência de ganhar peso.

Ortorexia nervosa é um transtorno obsessivo com alimentos saudáveis. (Imagem: Pixabay)

Vale ressaltar que nem todos possuem um metabolismo idêntico. Dessa forma, uma restrição alimentar ou dietas severas podem afetar todo o funcionamento do corpo, trazendo severas consequências. Um exemplo disso é a ortorexia nervosa, causada pelo consumo obsessivo em alimentos saudáveis. O organismo precisa de alguns nutrientes para funcionar perfeitamente.

A fixação em se manter dentro de uma meta diária de calorias pode gerar problemas na saúde mental, bem como na perda de apetite. Assim, o ideal é buscar ajuda de um profissional, e se for o caso, ele mesmo irá te recomendar a dieta reversa. Mas antes precisa ser avaliado uma série de fatores, que varia de pessoa para pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *