Líbano: Mais de 4 toneladas de nitrato de amônio encontradas perto do porto de Beirute

Compartilhe

O exército libanês disse ter encontrado o produto químico perto da entrada do porto de Beirute, local de uma poderosa explosão no mês passado

O exército do Líbano encontrou 4,35 toneladas de nitrato de amônio perto da entrada do porto de Beirute, local de uma poderosa explosão no mês passado, causada por um grande estoque do mesmo produto químico altamente explosivo, que matou 191 pessoas.

Os militares disseram em um comunicado na quinta-feira que especialistas do Exército foram chamados para uma inspeção e encontraram o produto químico perigoso em quatro contêineres armazenados perto do porto.

Os engenheiros do Exército estavam “lidando com isso”, segundo nota divulgada pela agência de notícias estatal NNA.

Não havia detalhes sobre a origem dos produtos químicos ou seu proprietário.

A descoberta ocorre quase um mês depois de quase 3.000 toneladas de nitrato de amônio armazenadas no porto de Beirute por seis anos detonadas , causando mortes e destruição.

Bairros inteiros foram devastados, quase 300.000 pessoas ficaram desabrigadas porque a explosão causou danos no valor de bilhões de dólares.

O governo libanês desistiu em meio à raiva pública em uma nação já colocada de joelhos por uma crise econômica.

O público continua preocupado com o fato de que mais materiais perigosos estão sendo mal armazenados, colocando-os em risco.

Dias após a explosão de 4 de agosto, especialistas químicos franceses e italianos trabalhando em meio aos destroços do porto identificaram mais de 20 contêineres transportando produtos químicos perigosos.

O exército disse mais tarde que esses contêineres foram movidos e armazenados com segurança em locais distantes do porto.

Especialistas franceses, assim como o FBI, participaram da investigação da explosão a pedido das autoridades libanesas.

Até agora, as autoridades detiveram 25 pessoas durante a explosão do mês passado, a maioria delas funcionários portuários e alfandegários.

No início desta semana, uma agência da ONU alertou que mais da metade da população do Líbano corre o risco de enfrentar uma crise de alimentos após a explosão que agravou os problemas existentes no país.

“Mais da metade da população do país corre o risco de não conseguir acessar suas necessidades alimentares básicas até o final do ano”, disse a Comissão Econômica e Social da ONU para a Ásia Ocidental (ESCWA).

“Medidas imediatas devem ser tomadas para prevenir uma crise alimentar”, disse a secretária executiva da ESCWA, Rola Dashti.

Dashti disse que o governo do Líbano deve priorizar a reconstrução de silos no porto de Beirute, o maior armazenamento de grãos do país. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *