Políticos gregos e turcos reacendem conflito sobre negociações do Mediterrâneo

Compartilhe

O primeiro-ministro grego cita as ‘provocações’ de Ancara enquanto a turma FM acusa Atenas de mentir sobre as intenções de entrar no diálogo.

As tensões entre a Grécia e a Turquia  sobre as fronteiras marítimas no Mediterrâneo Oriental foram reacendidas à medida que os líderes políticos de ambos os países trocaram insultos em meio aos esforços da OTAN para promover o diálogo.

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, disse na sexta-feira que seu país só iniciaria negociações com a Turquia para resolver as reivindicações conflitantes assim que as “provocações” turcas cessassem.

A guerra de palavras aumentou no mês passado depois que a Turquia despachou um navio de pesquisa sísmica para uma área disputada para exploração de energia após um acordo marítimo entre a Grécia e o Egito. A Turquia afirma que o pacto infringe sua própria plataforma continental.

“[Nosso país] pode e quer discutir a demarcação das zonas marítimas no Mar Egeu, no Mediterrâneo Oriental, com base no direito internacional. Mas não sob ameaças”, disse Mitsotakis durante encontro com o alto diplomata chinês Yang Jiechi, que é visitando Atenas. 

“Assim que as provocações terminarem, as discussões começarão”, disse ele, acrescentando que o ministro das Relações Exteriores da Grécia entregaria uma carta dele descrevendo o caso de Atenas ao secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, quando os dois se reunirem em Nova York na sexta-feira.

Também na sexta-feira, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse que a Grécia e a Turquia, ambos membros da aliança ocidental, iniciaram conversações técnicas, mas ainda não chegaram a um acordo para evitar confrontos acidentais no Mediterrâneo Oriental.

Enquanto isso, a Turquia acusou na sexta-feira a Grécia de evitar o diálogo e mentir ao negar ter assinado negociações mediadas pela OTAN.

Uma fragata grega colidiu com uma turca em agosto e os dois membros da OTAN realizaram jogos de guerra rivais na região rica em energia, mas disputada na semana passada.     

Stoltenberg disse que os líderes gregos e turcos “concordaram em entrar em conversações técnicas na OTAN para estabelecer mecanismos de desconfiguração militar para reduzir o risco de incidentes e acidentes”.

Mas a Grécia disse na quinta-feira que Atenas nunca concordou com as negociações técnicas, alegando que a declaração de Stoltenberg não “correspondia à realidade”.

O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, disse que a Grécia, de fato, concordou com a proposta quando ela foi feita.

“A Grécia negou os comentários do secretário-geral, mas quem está aqui não é o secretário-geral da OTAN, é a própria Grécia”, disse Cavusoglu a repórteres em Ancara.

“A Grécia mostrou mais uma vez do que não é a favor do diálogo.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *