Bolsonaro será reeleito em 2022

Compartilhe

Segundo pesquisas da Exame e o IDEIA (instituto de pesquisa especializado em opinião pública), caso hoje fossem as eleições presidenciais, Bolsonaro seria reeleito em todos os cenários possíveis.

Em um cenário de primeiro turno entre Bolsonaro, o ex-presidente Lula, o ex-ministro Sérgio Moro e outros candidatos, o presidente levaria a maioria dos votos (31%), seguido pelo ex-presidente Lula (17%) e Moro teria 13%. No segundo turno, Bolsonaro ganharia de Lula, com 42% dos votos, ante 31% do oponente petista, João Doria, com apenas 3% das intenções de voto, seguido de Luciano Huck e do ex-ministro Mandetta.

Embora o governo Bolsonaro seja o principal responsável pelo auxilio emergencial, esse não é nem de perto o motivo por trás de sua ascensão. Não precisa ter boa memória para lembrar que no principio da pandemia o governo teve um índice de reprovação muito alto, chegando a cogitar o impeachment caso a aprovação popular continuasse caindo como foi no governo Dilma (9%).

Mesmo se mantendo firme em 30%, a situação ainda era desesperadora, uma vez que a mídia esquerdista vivia associando o nome do presidente e dos filhos a escândalos. Não podemos esquecer também todas as vezes que Bolsonaro emitiu publicamente declarações de cunho polemico (exaltando ainda mais os ânimos da grande massa que não sabia como lidar com a pandemia, todo o caos e manipulação de noticias pela Globo). E na falta do que falar, a mídia criava os motivos através das famosas “fake news”.

Considerando todo o desenrolar, podemos dar atenção especial ao STJ que tem atuando fortemente no combate as informações falsas, além de punir com severidade quem as pratica. De acordo com o presidente do STJ, “Brasil enfrenta uma batalha contra as fake news”, e sim, temos ganhado.

Em outro momento de 2020, podemos perceber que o presidente mexe corretamente com suas cartas ao empossar Fabio Faria como ministro da comunicação, que nada menos, é o genro do maior comunicador do Brasil. Tem como dar errado? Orientado por pessoas que sabem encantar o público, Bolsonaro tem moldado uma postura menos conflitante com a população, resultando, portanto, em uma maior aceitação.

Podemos concluir que o governo tem melhorado e se adaptado ao que se espera dele. E é bem certo que se Bolsonaro se manter longe de confusões desnecessárias, ele continuará ganhando a simpatia da população. A esquerda possivelmente cairá em desespero por não ter nem o que inventar. Ao longo do tempo, será possível perceber quem são os verdadeiros fascistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *