Canhoba recebe equipamento para sismografo melhorar o monitoramento dos tremores

Compartilhe

A medida foi tomada pelo Laboratório Sismológico (LabSis) da UFRN após abalos serem registrados por cerca de uma semana na localidade e assustar a população.

A estação de detecção sismológica localizada no município de Canhoba recebeu no início da manhã desta sexta-feira (11) um equipamento para acompanhamento mais preciso dos tremores de terra na região do Baixo São Francisco. A medida foi tomada pelo Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que monitora esse tipo de atividade no Nordeste, após abalos serem registrados por cerca de uma semana na localidade assustar a população.

“Hoje essa estação recebe um link de internet e nos vai dar condição de ter acompanhamento diário e in loco dos recentes tremores que vêm ocorrendo aqui na região, além de possibilitar a identificação com precisão do local onde esses tremores são originados”, disse o técnico do LabSis Eduardo Menezes.

De acordo com o técnico, alguns desses eventos são sentidos tanto em Canhoba como em Amparo de São Francisco, além de São Brás (AL). Ele reforçou que os abalos são de baixa magnitude e não representam perigo.

“Os tremores de Canhoba, sentidos em Amparo do São Francisco, são considerados de baixa intensidade. A gente sabe que com a frequência dos tremores, mesmo sendo com baixa intensidade, alguns deles assustam, quando atingem magnitude em torno de 2”, explicou.

Tremores em Sergipe

Os tremores começaram a ser sentidos em Sergipe na noite de 30 de agosto com magnitude de 1,8. No mesmo dia, abalos de 4.6 foram registrados na Bahia e causaram destruição em imóveis. Os eventos continuaram a ser sentidos no interior sergipano e de Alagoas até o início desta semana e chegaram a 2.7 de magnitude.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *