Irã adverte os EUA contra ‘erro estratégico’ após a ameaça de Trump

Compartilhe

Trump disse que qualquer ataque do Irã para vingar a morte de Soleimani enfrentará uma resposta “1.000 vezes maior em magnitude”.

O Irã advertiu os Estados Unidos contra cometer um “erro estratégico” depois que o presidente Donald Trump ameaçou Teerã por causa de relatos de que planejava vingar a morte do general Qassem Soleimani.

“Esperamos que eles não cometam um novo erro estratégico e, certamente, no caso de qualquer erro estratégico, eles testemunharão a resposta decisiva do Irã”, disse o porta-voz do governo Ali Rabiei em entrevista coletiva televisionada na terça-feira.

Trump prometeu na segunda-feira que qualquer ataque do Irã teria uma resposta “1.000 vezes maior em magnitude”, depois que relatos disseram que o Irã planejava vingar a morte de Soleimani em  um ataque de drones nos EUA em janeiro deste ano.

Uma reportagem da mídia americana, citando autoridades não identificadas, disse que uma suposta conspiração iraniana para assassinar o embaixador dos EUA na África do Sul foi planejada antes das eleições presidenciais em novembro.

“De acordo com reportagens da imprensa, o Irã pode estar planejando um assassinato, ou outro ataque, contra os Estados Unidos em retaliação pelo assassinato do líder terrorista Soleimani”, twittou Trump.

“Qualquer ataque do Irã, de qualquer forma, contra os Estados Unidos será recebido com um ataque ao Irã que será 1.000 vezes maior em magnitude!”

As relações entre Washington e Teerã pioraram desde que Trump se retirou unilateralmente de um acordo nuclear internacional histórico com o Irã em maio de 2018.

Washington está pressionando para estender um embargo de armas ao Irã, que começa a expirar progressivamente em outubro, bem como reimpor as sanções da ONU contra Teerã.

A Marinha iraniana disse na semana passada que afastou um avião dos EUA que voava perto de uma área onde estavam sendo realizados exercícios militares perto do Estreito de Ormuz.

Os militares disseram que três aeronaves americanas foram detectadas pelos radares da Força Aérea do Irã depois que entraram na zona de identificação de defesa aérea do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *