Espanha registra quatro mortos devido o surto do Nilo Ocidental

Compartilhe

O número de mortos em um surto no sul da Espanha do vírus do Nilo Ocidental, que é transmitido por mosquitos, aumentou para quatro, disseram autoridades de saúde locais na segunda-feira.

Uma mulher de 87 anos que foi hospitalizada com a doença na cidade de Puerto Real, na província de Cádiz, no sudoeste do país, é a última vítima fatal do surto, informou em um comunicado o departamento de saúde do governo regional da Andaluzia.

Três outros idosos morreram da doença na província vizinha de Sevilha, onde o surto começou no início deste ano nas cidades de Coria del Rio e La Puebla del Rio, ambas localizadas perto dos
pântanos de Guadalquivir .   

Outras dez pessoas estão hospitalizadas com a doença nas duas províncias, incluindo quatro em unidades de cuidados intensivos, acrescentou o comunicado.    

O vírus do Nilo Ocidental pode causar sintomas semelhantes aos da gripe, mas, em casos extremos, pode resultar em tremores, febre, coma e um inchaço letal do tecido cerebral conhecido como encefalite. Também pode causar meningite.

Descoberto pela primeira vez em Uganda em 1937, o vírus é transportado por pássaros e transmitido aos humanos por mosquitos. É nativo da África, Ásia, Europa e Austrália.

O governo regional da Andaluzia pulverizou várias áreas úmidas com pesticidas para matar os mosquitos e reduzir o risco de transmissão do vírus do Nilo Ocidental, e instou as pessoas a instalarem redes mosquiteiras e telas em
suas casas.   

O surto ocorre no momento em que a Espanha enfrenta uma das mais graves epidemias de Covid-19 na Europa, com quase 30.000 mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *