Bolsonaro:’Se tiver efeito colateral a vacina da covid não vão cobrar de mim’

Compartilhe

Em conversa com apoiadores na noite de ontem, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que não poderá ser cobrado se houver algum efeito colateral ou “um problema” com a vacina contra a covid-19. O mandatário disse que mostrará “todo o contrato” quando o país for comprar a vacina de uma empresa.

Em agosto, o presidente assinou uma MP (medida provisória) que libera quase R$ 2 bilhões para viabilizar a produção e a disseminação da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. A Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária), no entanto, ainda não aprovou o uso de nenhum imunizante no Brasil.

Durante a conversa com apoiadores na sua chegada ao Palácio do Alvorada, Bolsonaro disse ser “lógico” que tem que haver preocupação com o vírus e “esperar uma vacina”, mas fez ressalvas sobre o tema: “Cada empresa tem a sua vacina. Vamos supor que numa das cláusulas da vacina que eu vou comprar a gente vai ter que ver o que eles oferecem. Vamos supor que lá no meio está escrito o seguinte: ‘nos desobrigamos de qualquer ressarcimento, de qualquer responsabilidade com possíveis efeitos colaterais imediatos ou futuros’. E daí, vocês vão tomar essa vacina? Porque, em chegando, havendo essa conclusão… porque começaram alguns países a vacinar…

Eu vou mostrar todo o contrato para você Quem tomar vai saber o que está tomando e daí as consequências”, disse o presidente. Se tiver um efeito colateral ou um problema qualquer já sabem que não vão cobrar de mim. Porque eu vou ser bem claro, ‘a vacina é essa’

Jair Bolsonaro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *