153 Estados da ONU apelam a Israel para ‘renunciar à posse de armas nucleares’

Compartilhe

O estado judeu foi convidado a “não desenvolver, produzir, testar ou adquirir armas nucleares”.

Assembleia Geral das Nações Unidas pediu a Israel que “renuncie à posse de armas nucleares” em uma votação de 153 votos a favor na segunda-feira, com 25 abstenções.Israel foi solicitado a “não desenvolver, produzir, testar ou adquirir armas nucleares”.

A AGNU apelou ainda ao Estado judeu “para renunciar à posse de armas nucleares e colocar todas as suas instalações nucleares não protegidas sob salvaguardas de âmbito total da Agência como uma medida importante de construção de confiança entre todos os Estados da região e como um passo para melhorar paz e segurança. ”Israel é considerada uma das nove potências nucleares do mundo, mas nunca admitiu a posse de armas nucleares. Há oito países reconhecidos como potências nucleares, cinco dos quais assinaram o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares. Os cinco signatários são: China, França, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos.Três outros países, que não são signatários do tratado, admitiram testar e possuir armas nucleares: Índia, Coréia do Norte e Paquistão. Ao todo, 191 países são signatários do tratado, incluindo o Irã, mas não Israel. 

Votação da AGNU conclamando Israel a "renunciar à posse de armas nucleares" (crédito da foto: screenshot)
Votação da AGNU conclamando Israel a “renunciar à posse de armas nucleares”
(crédito da foto: captura de tela)

Em Nova York, na segunda-feira, 153 países pediram exclusivamente a Israel que assinasse o Tratado de Não Proliferação e renunciasse às suas armas na resolução intitulada “O Risco de Proliferação Nuclear no Oriente Médio”. A resolução fazia parte de um grande pacote de resoluções aprovadas pela Assembleia Geral em Nova York, pedindo o desarmamento nuclear global e na região. Também faz parte de um pacote de cerca de 20 resoluções anuais da AGNU consideradas anti-israelenses e pró-palestinas.A Autoridade Palestina estava entre os patrocinadores dessa resolução de não proliferação, assim como Egito, Jordânia, Arábia Saudita, Omã e Emirados Árabes Unidos.Os seis países que se opuseram à resolução foram: Canadá, Israel, Ilhas Marshall, Micronésia, Palau e Estados Unidos.Os países que se abstiveram foram Albânia, Austrália, Bélgica, Camarões, República Centro-Africana, Côte d’Ivoire, Croácia, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Etiópia, França, Geórgia, Alemanha, Hungria, Índia, Itália, Lituânia, Luxemburgo, Mônaco, Holanda, Panamá, Polônia, Romênia e Reino Unido. No ano passado, a mesma resolução foi aprovada por 152-6, com 24 abstenções.Israel ganhou o apoio da Croácia, que passou de um voto “sim” no ano passado para a abstenção.Separadamente, a AGNU votou 174-2, com uma abstenção, em uma resolução que pedia uma zona livre nuclear no Oriente Médio. Apenas Israel e os Estados Unidos se opuseram, com a abstenção de Camarões.

Com informações Jerusalém Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *