Pequim adverte que Washington pagará ‘alto preço’ por alegadas interferências em assuntos chineses

Compartilhe

Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, afirmou na quarta-feira (6) que pretende aplicar sanções às autoridades chinesas pela prisão de mais de 50 ativistas pró-democracia em Hong Kong.

Os EUA terão um “preço alto” a pagar por suas ameaças de censurar autoridades chinesas por causa das detenções de Hong Kong, garantiu nesta quinta-feira (7) a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, citada pela agência Reuters.

A representante do ministério, que também condenou os planos de Washington de enviar um embaixador da ONU a Taiwan, pediu às autoridades norte-americanas que pare imediatamente de interferir nos assuntos internos da China.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, prometeu na quarta-feira (6) impor sanções às agências estatais e às autoridades chinesas por “minar os processos democráticos de Hong Kong” depois que cerca de 53 ativistas pró-democracia foram detidos sob a acusação de subversão e da lei de segurança nacional, incluindo um norte-americano. Pompeo se referiu às detenções como o “desprezo do Partido Comunista Chinês por seu próprio povo e pelo Estado de Direito”, revelou a agência.

No final de junho, a China adotou uma legislação que proíbe atividades separatistas em Hong Kong, bem como qualquer tipo de intromissão externa. Embora os opositores da lei em Hong Kong e no exterior a vejam como uma violação da liberdade, Pequim enfatizou que seu objetivo é punir as atividades ilegais sem violar os direitos da população local.

Com informações Sputnik

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *