China em alerta máximo: cidade Chinesa com milhões de habitantes e fechada para conter um novo surto.

Compartilhe

A CHINA trouxe novas restrições severas a outra cidade na província de Hebei, deixando quase cinco milhões de pessoas presas em meio a preocupações crescentes sobre uma segunda onda de COVID-19.

A cidade de Langfang, em Hebei, na terça-feira, confirmou que 4,9 milhões de residentes serão colocados em quarentena doméstica por sete dias e submetidos a testes COVID-19  massa . O número de novos casos  registrados na China continental  na terça-feira caiu quase pela metade em relação ao dia anterior. No entanto, as autoridades locais estão implementando restrições para prevenir uma nova paralisia econômica.

A Comissão Nacional de Saúde relatou 55 novos casos de COVID-19 na terça-feira, ante 103 no dia anterior.

No entanto, a província de Hebei, que circunda Pequim, e que fica na mesma região de Wuhan, onde a doença surgiu pela primeira vez, foi responsável por 40 das 42 infecções transmitidas localmente, com a capital e a província de Heilongjiang no nordeste relatando um caso local.

Duas regiões sob jurisdição de Langfang que fazem fronteira com Pequim – Guan e Sanhe – já anunciaram medidas de quarentena domiciliar.

Guan relatou um novo caso de COVID-19, mas Sanhe não disse se algum de seus residentes foi diagnosticado com a doença.

Shijiazhuang, a capital de Hebei, foi a mais atingida no último surto de infecções e já colocou seus 11 milhões de habitantes sob bloqueio.

A província fechou certos trechos de rodovias e impediu que veículos registrados em Shijiazhuang continuem sua trajetória

O distrito de Gaocheng em Shijiazhuang está reunindo mais de 20.000 pessoas que vivem em 12 aldeias remotas em quarentena centralizada como parte do controle COVID-19 da cidade, informou a mídia estatal China News Service na segunda-feira.

As autoridades do distrito de Xicheng em Pequim disseram na terça-feira que o paciente confirmado com COVID-19 do condado de Guan trabalha em um prédio no distrito.

Em um vilarejo no sul de Pequim que faz fronteira com Hebei, os moradores pararam os veículos e pediram para ver códigos de rastreamento de saúde em telefones celulares.

Um oficial de segurança voluntário de sobrenome Wang disse: “As medidas se tornaram mais rígidas desde 8 de janeiro.

Temos que ter cuidado, pois estamos perto de Guan, onde casos COVID foram relatados hoje.

Em um posto de controle na rodovia de Pequim perto da fronteira com Hebei, policiais em jalecos de proteção ordenaram que um carro volte para Hebei, depois que o motorista não conseguiu provar que havia passado no teste COVID-19.

A cidade chinesa de Shijiazhuang também está bloqueada

As diretrizes também orientam que os motoristas devam fazer um teste de ácido nucléico para coronavírus todas as semanas e estejam imunizados para voltar ao trabalho

Outras províncias da China estão relatando novos casos confirmados ou assintomáticos.

A província de Heilongjiang relatou 36 novos casos assintomáticos no condado de Wangkui, que também entrou em bloqueio na segunda-feira.

Controversamente, as autoridades na China não classificam os casos assintomáticos como infecções confirmadas por COVID-19.

Coronavírus: os maiores contribuintes para a OMS 

As cidades de Yichun e Qiqihar em Heilongjiang relataram hoje um e sete novos casos assintomáticos ligados a Wangkui, respectivamente.

A cidade de Changchun – capital da província vizinha de Jilin – relatou sete novos pacientes assintomáticos em 11 de janeiro, quatro dos quais haviam viajado de Wangkui recentemente.

Os complexos residenciais onde esses pacientes viviam foram colocados em bloqueio, evitando que pessoas e veículos saíssem das proximidades.

As autoridades em Wuhan, onde COVID-19 surgiu pela primeira vez no final de 2019, na segunda-feira lançaram o trabalho de rastreamento de pessoas depois que duas pessoas infectadas de Hebei visitaram a cidade.

Locais de produção da vacina contra o coronavírus

Em toda a China, o número de novos casos assintomáticos aumentou de 76 para 81 no dia anterior.

Em um movimento raro, Jinzhong, uma cidade na província de Shanxi que faz fronteira com Shijiazhuang, disse na terça-feira que administrará testes COVID-19 em todos os viajantes de Hebei, além de outros testes COVID-19 obrigatórios.

Jinzhong relatou na segunda-feira dois pacientes assintomáticos que retornaram de Hebei.

O número total de casos confirmados de COVID-19 relatados na China continental agora é de 87.591, enquanto o número de mortos permaneceu inalterado em 4.634

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *