Israel sugere que não pode envolver Biden na estratégia nuclear do Irã

Compartilhe

“Não poderemos fazer parte de tal processo se o novo governo voltar a esse acordo”, disse o embaixador Gilad Erdan à Rádio do Exército de Israel.

Israel ofereceu a possibilidade na terça-feira de não se envolver com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na estratégia em relação ao programa nuclear iraniano, pedindo sanções mais duras e uma “ameaça militar confiável” contra seu arquiinimigo.As declarações do enviado de Israel a Washington ocorreram em um momento delicado para o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Candidato à reeleição no mês que vem, ele reviveu sua linha dura em relação ao Irã, embora ainda não tenha qualquer comunicação direta com Biden.

O novo governo disse que quer um retorno dos EUA ao acordo nuclear de 2015 com Teerã – que o ex-presidente Donald Trump renunciou, restaurando as sanções – se os iranianos voltarem a se comprometer com suas próprias obrigações. Washington também disse que quer conversar com aliados no Oriente Médio sobre essas medidas.”Não poderemos fazer parte de tal processo se o novo governo voltar a esse acordo”, disse o embaixador Gilad Erdan à Rádio do Exército de Israel.

Os assessores de Netanyahu têm questionado em particular se o envolvimento com colegas dos EUA pode sair pela culatra, para Israel, por sinalizar falsamente seu consentimento para qualquer novo acordo ao qual ainda se oponha.Israel não fez parte do acordo de 2015. Tem poderosos defensores dentro do Congresso dos Estados Unidos, no entanto, e as ameaças de Netanyahu de tomar uma ação militar unilateral contra o Irã se ele considerar a diplomacia um beco sem saída também figuram no planejamento das grandes potências.

“Achamos que se os Estados Unidos voltarem ao mesmo acordo do qual já se retiraram, toda a sua influência será perdida”, disse Erdan.”Parece que apenas sanções paralisantes – manter as sanções atuais e até adicionar novas sanções – combinadas com uma ameaça militar credível – que o Irã teme – podem levar o Irã a negociações reais com os países ocidentais que podem, em última instância, produzir um acordo verdadeiramente capaz de evitá-lo avançando (para armas nucleares). “O governo Biden disse que quer fortalecer e aumentar as restrições ao Irã, que nega buscar a bomba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *