Terceiro Templo: Judeus em Jerusalém se dividiram sobre a demolição da Mesquita de Al-Aqsa

Compartilhe

Há uma crença generalizada no mundo muçulmano de que os judeus querem demolir o ponto crítico de Jesusalém a mesquita de Al – Alqsa  , para construir seu próprio templo.

Declarações de grupos radicais e invasões de colonos judeus na mesquita de Al-Aqsa fortaleceram essa noção. Dezenas de colonos, escoltados pela polícia, invadiram o complexo da mesquita de Al-Aqsa na quarta-feira e percorreram a área, de acordo com a Islamic Endowments Authority, uma agência administrada pela Jordânia encarregada de supervisionar os locais sagrados muçulmanos e cristãos de Jerusalém Oriental.

Desde 2003, Israel permite que colonos entrem no complexo do ponto de inflamação quase diariamente, com exceções às sextas e sábados.

A Agência Anadolu (AA) perguntou aos judeus da Jerusalém Oriental ocupada se eles queriam demolir a mesquita.

Raziella Harpaz, uma ativista religiosa, disse que não tem essa intenção porque “Deus fará isso”.

“Deus extinguirá a mesquita de Al-Aqsa existente e trará um terceiro templo à terra em seu lugar”, disse ele. “Tudo, incluindo Al-Aqsa, pertence aos judeus porque Deus criou o mundo apenas para seu santo povo amado, os judeus.”

A estudante universitária norte-americana Nina Shelanski não acredita que Al-Aqsa deva estar completamente sob controle judaico.

“Acho que a maioria dos israelenses está satisfeita com a situação atual, mas alguns grupos ultraortodoxos querem que Israel assuma o controle total da Al-Aqsa e da Cisjordânia. Infelizmente, esses pequenos grupos querem abafar nossas vozes”, ela disse.

Shelanski destacou que os grupos têm grande influência na política israelense, apesar de representarem uma pequena fração da população. O Rabino Ravay Moyal Mikhael também disse que não apóia o esforço. “O povo israelense não busca tal objetivo. Eles precisam de paz”, disse ele.

Moti Khouyzag, estudante de uma Yeshiva, disse que a segunda vinda de Jesus abrirá caminho para a reconstrução do Templo Judaico no lugar da mesquita de Al-Aqsa.

“Nunca acreditamos que devemos fazer algo a respeito deste prédio. Não temos intenção de queimá-lo ou fechá-lo”, disse Khouyzag.

A mesquita de Al-Aqsa é o terceiro local mais sagrado do mundo para os muçulmanos. Os judeus chamam a área de “Monte do Templo”, alegando que era o local de dois templos judeus nos tempos antigos.

Israel ocupou Jerusalém Oriental, onde Al-Aqsa está localizada, durante a Guerra Árabe-Israelense de 1967. Ela anexou toda a cidade em 1980, em um movimento nunca reconhecido pela comunidade internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *