Voltaremos a desenvolver armas nucleares se não entrarmos para a OTAN, Ucrania.

Compartilhe

Ucrânia considerará armar-se com armas nucleares se não se tornar membro da aliança militar da OTAN, disse o embaixador ucraniano na Alemanha.

“Ou fazemos parte de uma aliança como a OTAN e contribuímos desta forma para tornar a Europa mais forte … ou ficamos com a outra opção, que é nos armarmos”, disse o embaixador Andriy Melnyk à rádio Deutschlandfunk na quinta-feira.

Kiev ” estuda se tornar um país nuclear”, disse ele. “De que outra forma podemos garantir nossa defesa?”

Em 1994, Kiev renunciou à posse do terceiro maior arsenal nuclear do mundo desde os tempos soviéticos, que estava armazenado em território ucraniano. As ogivas nucleares foram todas transportadas para a Rússia. Em troca, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a Rússia se comprometeram a respeitar as fronteiras da Ucrânia.

A Ucrânia tem procurado aderir à aliança militar ocidenta (OTAN) há anos, porém essa integração é considerado improvável ao curto prazo.

As tensões militares entre a Ucrânia e a Rússia têm sido altas desde a anexação da península da Crimeia pela Rússia em 2014.

A área de conflito do leste da Ucrânia, onde Moscou apóia separatistas pró-russos, e o envio de tropas para o território russo e ucraniano causaram preocupação internacional nas últimas semanas.

Melnyk falou sobre ” os preparativos de guerra para um novo ataque militar à Ucrânia, que também deve ser levado a sério em Berlim”.

Moscou afirma que está apenas reagindo às provocações de Kiev e rejeitou as alegações de envio de tropas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *