Estado do RJ apresenta melhora epidemiológica e volta à bandeira vermelha de risco do CoronaVírus

Compartilhe

Nesta sexta-feira (16/04), a Secretaria de Estado de Saúde divulgou a 26ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, que mostra que a situação da pandemia no Estado do Rio de Janeiro deixou a bandeira roxa (risco muito alto) e entrou na bandeira vermelha (risco alto). Isso aponta para uma melhora nos parâmetros epidemiológicos.

Essa melhora se repete na Região Serrana. As regiões Médio Paraíba, Centro-Sul, Baixada Litorânea, Noroeste, Norte, Baía de Ilha Grande e Metropolitana II permanecem com bandeira vermelha (risco alto). A Região Metropolitana I é a única do estado que permanece com bandeira roxa, que indica risco muito alto de contrair a doença. A análise compara a semana epidemiológica 13 (28 de março – 04 de abril) com a 11 (14 de março – 21 de março) de 2021.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

O Estado do Rio de Janeiro apresentou um aumento de 38% no número de óbitos e uma redução de 13% nos casos de internações por  síndrome respiratória aguda grave (SRAG) na comparação entre as semanas epidemiológicas analisadas.

Essa melhora se repete na Região Serrana. As regiões Médio Paraíba, Centro-Sul, Baixada Litorânea, Noroeste, Norte, Baía de Ilha Grande e Metropolitana II permanecem com bandeira vermelha (risco alto). A Região Metropolitana I é a única do estado que permanece com bandeira roxa, que indica risco muito alto de contrair a doença. A análise compara a semana epidemiológica 13 (28 de março – 04 de abril) com a 11 (14 de março – 21 de março) de 2021.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

O Estado do Rio de Janeiro apresentou um aumento de 38% no número de óbitos e uma redução de 13% nos casos de internações por  síndrome respiratória aguda grave (SRAG) na comparação entre as semanas epidemiológicas analisadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *