Aspirina reduz o risco de Covid-19, após novas descobertas diz nova pesquisa

Compartilhe

O tratamento reduziu o risco de atingir a ventilação mecânica em 44%. As admissões na UTI foram reduzidas em 43% e a mortalidade hospitalar geral teve uma redução de 47%.

A aspirina de venda livre pode proteger os pulmões de pacientes com COVID-19 e minimizar a necessidade de ventilação mecânica , de acordo com uma nova pesquisa da George Washington University.A equipe investigou mais de 400 pacientes com COVID de hospitais nos Estados Unidos que tomam aspirina não relacionada à doença COVID e descobriu que o tratamento reduziu o risco de vários parâmetros quase pela metade: atingir ventilação mecânica em 44%, admissões em UTI em 43% e mortalidade hospitalar geral em 47%.

“Conforme aprendemos sobre a conexão entre coágulos sanguíneos e COVID-19, sabíamos que a aspirina – usada para prevenir derrames e ataques cardíacos – poderia ser importante para pacientes com COVID-19”, disse o Dr. Jonathan Chow da equipe do estudo. “Nossa pesquisa encontrou uma associação entre aspirina em baixas doses e diminuição da gravidade de COVID-19 e morte.”

A aspirina em baixas doses é um tratamento comum para qualquer pessoa que sofra de problemas de coagulação do sangue ou esteja em risco de derrame, incluindo a maioria das pessoas que tiveram um ataque cardíaco ou infarto do miocárdio. Embora afete o sistema respiratório, o coronavírus tem sido associado à coagulação de pequenos vasos sanguíneos, causando pequenos bloqueios no sistema sanguíneo pulmonar, levando à SDRA – síndrome do desconforto respiratório agudo.

Pesquisadores israelenses chegaram a resultados semelhantes em um teste preliminar no Barzilai Medical Center em março. Além de seu efeito sobre os coágulos sanguíneos, eles descobriram que a aspirina trazia benefícios imunológicos e que o grupo que a tomava tinha 29% menos probabilidade de se infectar com o vírus.“A aspirina é de baixo custo, facilmente acessível e milhões já a usam para tratar seus problemas de saúde”, disse Chow. “Encontrar essa associação é uma grande vitória para aqueles que procuram reduzir o risco de alguns dos efeitos mais devastadores do COVID-19.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *