Cientistas alertam para nova variante de covid-19 detectada em 3 países com alto número de mutações

Compartilhe

A variante B.1.1.529 foi detectada pela primeira vez em 11 de novembro em Botswana, onde três casos já foram sequenciados. Posteriormente, seis casos foram confirmados na África do Sul e um em Hong Kong.

Tom Peacock, virologista do Imperial College London, publicou detalhes no site de compartilhamento de genoma GitHub esta semana sobre uma nova variante do covid-19 que tem um número ” extremamente alto ” de mutações e pode desencadear novas ondas da doença.

“O número incrivelmente alto de mutações na proteína spike sugere que isso pode ser uma preocupação real”, escreveu Peacock.

Especificamente, essa nova variante tem  32 mutações na proteína spike, capazes de afetar a capacidade do vírus de infectar as células e se espalhar, além de dificultar o ataque das células do sistema imunológico do corpo.

Em um tópico do Twitter , Peacock observa que ” muito deve ser monitorado por causa desse perfil de pico horrível”.

A variante B.1.1.529 foi detectada pela primeira vez em 11 de novembro em Botswana, onde três casos já foram sequenciados. Posteriormente, foram confirmados seis casos na África do Sul e um em Hong Kong em um viajante que retornava do país africano .

Peacock concluiu que exportar a variante para a Ásia implica que ela ” poderia ser mais disseminada ” do que mostram os dados de sequenciamento do genoma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *