A China usou tanques nas ruas contra cidadãos para defender bancos em protesto contra fraude bancária?

Compartilhe

Uma gravação supostamente mostrando como as autoridades chinesas usaram tanques para dispersar um protesto contra fraude bancária se tornou viral nas mídias sociais nesta semana em meio a críticas à brutalidade da medida.

O que aconteceu?

Em abril, o dinheiro de clientes de quatro bancos na província chinesa de Henan e outro banco na província de Anhui foi congelado em suas contas  sem possibilidade de saque . De acordo com as estimativas dos afetados, a soma total dos fundos chega a dezenas de bilhões de yuans , publica o  South China Morning Post.

Em 10 de julho, cerca de mil pessoas se reuniram em frente à agência do Banco Popular da China na cidade de Zhengzhou, em Henan, para exigir que as autoridades tomem as medidas necessárias para devolver o dinheiro aos atingidos. A manifestação foi reprimida por dezenas de homens não identificados.

Poucos dias depois, o governo do país asiático afirmou que as forças de segurança identificaram e prenderam os membros de uma “gangue criminosa”, acusados ​​de assumir o controle de bancos locais e fazer transferências ilegais. Além disso, as autoridades começaram a reembolsar as vítimas do escândalo financeiro.

Repressão ou treinamento?

Esta semana, um vídeo postado por uma comunidade de investidores no Twitter reacendeu o debate sobre a repressão ao protesto.

“Eles levam tanques para as ruas na China para proteger os bancos. É porque a sucursal do Banco da China em Henan declara que as poupanças das pessoas na sua sucursal são agora ‘produtos de investimento’ e não podem ser retiradas”, lê-se no texto da a publicação, acompanhada de um vídeo que mostra um grupo de pessoas observando vários tanques posicionados em uma estrada em frente a um prédio iluminado. O tweet recebeu mais de 105.000 curtidas.

Enquanto o autor do post afirmou que os eventos ocorreram em Henan, um colunista do Shanghai Daily apontou nos comentários que o vídeo foi realmente gravado na província de Shandong durante um “treinamento padrão” .

Na realidade, o local que aparece na gravação não é um banco, mas um hotel localizado na cidade de Rizhao, na província de Shandong, detalha a  AP. As imagens do Google Maps também confirmam que o edifício corresponde ao  Ji Hotel de Rizhao .

Da mesma forma, um funcionário do estabelecimento hoteleiro confirmou à AP que os tanques passaram pela rua em 17 de julho como parte de um exercício militar anual que não estava relacionado aos protestos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.