Alemanha alerta China contra a escalada das tensões com Taiwan e promete ajudar Taipei em caso de ataque da China

Compartilhe

A Alemanha alertou a China contra a escalada das tensões com Taiwan e prometeu ajudar Taipei em caso de conflito com Pequim, anunciou a ministra das Relações Exteriores Annalena Baerbock na terça-feira durante uma conferência do Tratado de Não-Proliferação da ONU em Nova York, conforme relatado pelo Der Spiegel.

“Não aceitamos quando a lei internacional é quebrada e um vizinho maior ataca seu vizinho menor”, ​​disse Baerbock, acrescentando que esse princípio também se aplica à China.

A declaração de Baerbock ocorre em meio ao aumento das tensões entre os EUA e a China, já que a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, deve visitar Taiwan na terça-feira. Pequim advertiu repetidamente que interpretaria tal medida como uma invasão de sua soberania e uma afronta à política de Uma China que Washington reconhece oficialmente.

Comentando a possível visita do orador, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, afirmou que alguns políticos norte-americanos estão “brincando abertamente com fogo” e criticou as tentativas de Washington de criar artificialmente um incidente no Estreito de Taiwan.

Se Pelosi “ousar” viajar para Taiwan, “o [Exército de Libertação Popular] não ficará de braços cruzados” e tomará “contramedidas resolutas e fortes” para proteger a soberania e a integridade territorial da China, alertou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, na segunda-feira.

À medida que as tensões continuam a aumentar, vários meios de comunicação asiáticos relataram o aumento da atividade militar de Pequim e Taipei no Estreito de Taiwan na terça-feira. Enquanto isso, o Independent informou que navios da Marinha dos EUA também foram despachados para a região em “implantações de rotina”.

A Casa Branca ainda não confirmou a parada de Pelosi em Taipei, mas o secretário de Estado Antony Blinken insistiu que a “decisão é inteiramente do presidente” e que o governo não sabe o que Pelosi pretende fazer.

Várias autoridades taiwanesas e norte-americanas não identificadas disseram à CNN Internacional na segunda-feira que Pelosi deveria realmente fazer uma viagem à ilha, o que marcaria a primeira vez que um presidente da Câmara viajaria para a ilha autônoma em 25 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.