Alemanha pede ajuda ao Brasil para doar blindados a Ucrânia em meio a guerra em curso

Compartilhe

A Alemanha quer a ajuda do Brasil de Jair Bolsonaro, presidente que prestou solidariedade à Rússia de Vladimir Putin uma semana antes da invasão de fevereiro da Ucrânia, para viabilizar a entrega de blindados de defesa antiaérea para Kiev se defender de Moscou.

Mais vistosa vitória política dos Estados Unidos em seu esforço para envolver os membros mais reticentes da Otan na Guerra da Ucrânia, o envio dos Flakpanzer Gepard foi anunciado na terça (26), mas empaca na falta de munição para o modelo dos anos 1970, que Berlim deixou de operar em 2010.

Em 2013, o Exército Brasileiro comprou 34 Gepard versão 1A2 da Alemanha, visando a segurança de grandes eventos: a Jornada Mundial da Juventude com o então novo papa Francisco, a Copa das Confederações e a Copa de 2014.

Segundo pessoas com conhecimento do assunto disseram à reportagem, o Exército havia procurado a Alemanha para revender os blindados depois disso, sem sucesso, e chegou a oferecê-los ao Qatar -que acabou por comprar 15 unidades de Berlim para usar na proteção aos estádios da Copa, em novembro.

Agora, os alemães voltaram a sondar o governo brasileiro, mas não há definição. Oficialmente, a intenção não chegou ao Exército, que opera os blindados.

“O Centro de Comunicação Social do Exército informa que, até o presente momento, o Exército Brasileiro não recebeu nenhum pedido para fornecimento de munição do sistema antiaéreo Gepard para a Alemanha, a fim de ser encaminhada à Ucrânia”, disse a Força.

Procurado, o Itamaraty não respondeu até aqui acerca do assunto. De todo modo, como disse um diplomata em Brasília, é altamente improvável que o governo Bolsonaro fizesse tal negócio dada sua posição de neutralidade crítica à guerra.

Além da visita intempestiva do presidente a Putin às vésperas do conflito, que gerou mal-estar com os EUA e internamente, o Brasil condenou tanto a invasão quanto as sanções impostas à Rússia ao votar sobre o tema na ONU.

Mais importante, de olho na manutenção do fluxo de fertilizantes russos para o país, além de outros negócios, não aderiu a nenhuma punição ocidental, ficando assim fora da lista de países adversários de Moscou.
Além do Brasil, apenas a Jordânia (60 blindados) e a Romênia (36), esta um membro da Otan (aliança militar ocidental), operam o veículo.

2 thoughts on “Alemanha pede ajuda ao Brasil para doar blindados a Ucrânia em meio a guerra em curso

  • 29 de abril de 2022 em 09:20
    Permalink

    Eu descobre a CLM a pouco tempo e estou gostando.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.