Austrália alerta China que nova base nas Ilhas Salomão seria ‘linha vermelha’

Compartilhe

O primeiro-ministro australiano Scott Morrison declarou no domingo que uma base militar chinesa nas Ilhas Salomão seria uma “linha vermelha” inaceitável, sem acrescentar como Camberra retaliaria. O governo de Morrison e os Estados Unidos estão lutando para responder a um acordo de segurança recém-assinado entre as ilhas e Pequim, que consideram uma medida “agressiva” .

“Trabalhando em conjunto com nossos parceiros na Nova Zelândia e, claro, nos Estados Unidos, compartilho da mesma linha vermelha que os Estados Unidos têm quando se trata dessas questões”, disse Morrison. “Não teremos bases navais militares chinesas em nossa região à nossa porta.”

Um pequeno arquipélago situado a cerca de 2.000 km da costa nordeste da Austrália, as Ilhas Salomão foram notícia internacional na semana passada quando assinaram um pacto de segurança com a China. Com a nação insular sofrendo com protestos violentos no ano passado, o acordo – de acordo com um rascunho vazado do acordo – promete assistência chinesa para “manter a ordem social” e permite que navios de guerra da China atraquem em seus portos.

O primeiro-ministro das Ilhas Salomão, Manasseh Sogavare, insiste que o acordo foi necessário para reforçar a segurança e foi “guiado por nossos interesses nacionais”. Ele afirmou na semana passada que o acordo não permite que a China estabeleça uma base militar nas ilhas, algo que Pequim também destacou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.