Banco Mundial alerta que guerra na Ucrânia pode causar maior choque de preços das commodities em meio século

Compartilhe

A invasão da Ucrânia pela Rússia contribuiu para um choque histórico nos mercados de commodities que manterá os preços globais altos até o final de 2024, segundo o Banco Mundial.

O aumento nos preços da energia nos últimos dois anos é o maior desde a crise do petróleo de 1973, enquanto o aumento nos preços dos alimentos é o maior desde 2008, disse o Banco Mundial na terça-feira em seu  relatório de perspectivas dos mercados de commodities.“No geral, isso representa o maior choque de commodities que experimentamos desde a década de 1970”, disse Indermit Gill, vice-presidente de crescimento equitativo, finanças e instituições do Banco Mundial. 

A Rússia é um dos principais exportadores de petróleo, gás natural e carvão, enquanto a Ucrânia é uma importante fonte de trigo e milho. A situação foi agravada pelo aumento dos custos de fertilizantes e picos de preços para os principais metais.

Depois de quase dobrar no ano passado, os preços da energia devem saltar mais de 50% este ano antes de diminuir em 2023 e 2024, disse o Banco Mundial. Os preços dos alimentos vão subir 22,9% este ano, com destaque para um aumento de 40% nos preços do trigo, de acordo com o relatório. 

“Esses desenvolvimentos começaram a levantar o espectro da estagflação”, alertou o Banco Mundial. “Os formuladores de políticas devem aproveitar todas as oportunidades para aumentar o crescimento econômico em casa e evitar ações que prejudiquem a economia global”.

Os preços devem permanecer em “níveis historicamente altos” até o final de 2024, disse o Banco Mundial. 

O temor é que os preços altos de necessidades atinjam mais fortemente as famílias de baixa renda.

“O aumento resultante nos preços de alimentos e energia está cobrando um preço humano e econômico significativo – e provavelmente paralisará o progresso na redução da pobreza”, disse Ayhan Kose, diretor do Grupo de Perspectivas do Banco Mundial, no relatório. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.