Bolsonaro pede ajuda à diretora da OMC, por fertilizantes, diz ministro

Compartilhe

O presidente Jair Bolsonaro pediu à diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), a nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala, que tome a frente de uma negociação no âmbito multilateral que permita o livre fluxo de fertilizantes para os países produtores de alimentos.

A sugestão foi feita em resposta a um apelo feito por Ngozi para que o Brasil aumente sua produção, exporte mais e, com isso, garanta a segurança alimentar. A dirigente da OMC aceitou o desafio.

Ao lado da diretora-geral, o chanceler Carlos França explicou que o governo brasileiro espera a negociação de um acordo entre os países associados ao organismo, que permita a livre circulação de fertilizantes, cujo fornecimento às nações agrícolas foi fortemente afetado pelas sanções econômicas e comerciais aplicadas contra a Rússia, devido a invasão da Ucrânia, no fim de fevereiro.

No fim do ano passado, a situação já estava complicada com a aplicação de sanções contra a Bielorrússia, cujo governo é acusado de violação dos direitos humanos. O plantio da safra de grãos no Brasil começa no próximo mês de setembro, o que preocupa o agronegócio brasileiro.

“A ideia é que a diretora-geral possa liderar uma iniciativa que libere o fluxo de fertilizantes, para que a situação de sanções e de embargos aplicados à Rússia não impeça o livre trânsito desses insumos”, disse o chanceler.

Ngozi disse que, “se o Brasil e a Ucrânia não produzirem, no próximo ano teremos mais problema com a carestia dos alimentos”. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.