Bombardeios em Kiev durante visita de Guterres, foi o dedo do meio de Putin para ONU, e mensagem para o Ocidente, diz prefeito

Compartilhe

O prefeito Vitali Klitschko disse na sexta-feira que um ataque com mísseis em sua cidade Kiev foi a maneira do presidente russo, Vladimir Putin, de mostrar “seu dedo do meio” ao secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, e ao Ocidente sobre a guerra na Ucrânia.

O ataque à capital na quinta-feira matou pelo menos uma pessoa e feriu outras 10, e foi o primeiro em Kiev desde que a Rússia redirecionou seus esforços para a região de Donbas, no leste da Ucrânia . Guterres e sua equipe não ficaram feridos.

Os ataques foram o mais ousado ataque russo à capital desde que as forças de Moscou recuaram semanas atrás, após o fracasso em tomar a cidade. A Rússia está agora entrando em Donbas, a região industrial oriental do país, que o Kremlin disse ser seu principal objetivo.

Volodymyr Fesenko, analista político ucraniano e chefe do think-tank Penta Center, com sede em Kiev, disse que os ataques com mísseis trouxeram uma mensagem : “A Rússia está enviando um sinal claro sobre sua intenção de continuar a guerra, apesar da pressão internacional”.

Ele disse que Putin continuará a atacar alvos em toda a Ucrânia.

“Com este ataque com mísseis, o Kremlin está enviando um alerta a todas as estruturas e organizações internacionais que tentam influenciar ou conter os planos militares agressivos da Rússia”, disse Fesenko. “Embora a Rússia até agora não tenha obtido ganhos significativos na Ucrânia, pretende continuar sua ofensiva e continuar atacando cidades com mísseis.”

Desrespeito ao povo de Kiev’

Em uma aparente referência ao ataque a Kiev, os militares russos disseram que destruíram “edifícios de produção” na fábrica de defesa Artem em um ataque de mísseis de “alta precisão”.

O bombardeio ocorreu apenas uma hora depois que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, deu uma entrevista coletiva com Guterres, que visitou parte da destruição em Kiev e nos arredores e condenou os ataques a civis.

“Isso diz muito sobre a verdadeira atitude da Rússia em relação às instituições globais, sobre as tentativas da liderança russa de humilhar a ONU e tudo o que a organização representa”, disse Zelensky.

Questionado sobre os comentários do presidente ucraniano, o porta-voz adjunto do chefe da ONU, Farhan Haq, disse que Guterres encarou o ataque da Rússia “realmente como um sinal não de desrespeito a ele… mas ao povo de Kiev”.

“Antonio Guterres não vê esse ataque como sobre ele. Ele vê isso como mais um sinal de que há partes que desejam continuar esta guerra, e queremos manter nosso esforço para garantir que o conflito possa ser encerrado”, disse Haq.

‘Os russos não têm medo de nada’

A Alemanha disse que o ataque “desumano” mostrou que Putin “não respeita o direito internacional”.

Kiev passou relativamente ilesa nas últimas semanas, e cafés e outros negócios começaram a reabrir. Mas o ataque de quinta-feira quebrou semanas de relativa calma na capital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.