Casal destrói clínica odontológica em BH após alegar que colocaram chip de rastreamento na mulher; veja vídeo

Compartilhe

Um casal vandalizou a recepção de uma clínica odontológica em Belo Horizonte na quarta-feira após alegar que um dentista do consultório inseriu um chip na boca da mulher,  informou a mídia local .

Kenya Aparecida de Sá, 27 anos, e seu marido, que não foi identificado, chegaram ao local com três filhos para falar com o dentista que havia atendido a mulher. Mas quando foram informados de que o profissional havia saído para almoçar, reagiram com violência.

Nas imagens da câmera de segurança, o homem pode ser visto começando a quebrar dois monitores quando a mulher, segurando uma das crianças nos braços , se levanta de uma cadeira, caminha até a recepção e derruba teclados no chão. funcionários da clínica tentam detê-los. Depois de jogar todos os objetos que estavam na mesa da recepção, o homem vai até o fundo da sala para quebrar uma televisão pendurada na parede, finalmente saindo do local às pressas.

Segundo o dono da clínica, que não quis ser identificado, Kenya foi ao consultório em 2018 para colocar um implante dentário. Em janeiro deste ano, a paciente retornou ao estabelecimento para pedir a retirada do dente, alegando que possuía um “corpo estranho” . Apesar de todos os dentistas se recusarem a fazê-lo, pois não encontraram nenhum problema com a prótese, por insistência do casal, a clínica concordou em retirar a peça caso assinassem um termo de responsabilidade. Assim, a intervenção foi realizada com o marido na sala, que registrou todo o procedimento.

Dias depois, a mulher voltou, acompanhada do marido, com o rosto inchado. Naquele dia, os policiais realizaram um boletim de ocorrência. “A senhora afirma que ela e seu parceiro têm certeza de que colocaram um microfone ou um rastreador em sua boca. Ela garante que a estão perseguindo e que todo o áudio de seu WhatsApp está vazando “, diz o documento. Depois disso, o casal fez uma série de ligações ameaçadoras para a clínica e não voltou a entrar em contato com o consultório até quarta-feira, quando a recepção foi destruída.

Após o incidente desta semana, uma investigação foi aberta para esclarecer os fatos. “Devido à citação das pessoas envolvidas, a PCMG [Polícia Civil de Minas Gerais, o estado onde se situa a cidade onde ocorreu o incidente] não revela esta informação, nem das audiências nem em relação aos procedimentos a serem realizados para não comprometer a investigação”, disseram as autoridades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.