China adverte Biden a não ‘subestimar a resolução’ em Taiwan

Compartilhe

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, declarou na segunda-feira que Pequim está pronta para defender seus interesses nacionais sobre Taiwan, em resposta às palavras do presidente dos EUA, Joe Biden, que pouco antes prometeu que Washington interviria militarmente para defender a ilha no caso de um invasão do gigante asiático.

Durante uma conferência de imprensa, citada pela AFP, o porta-voz disse que “Taiwan é uma parte inalienável do território da China” e que tudo relacionado com a ilha “é um assunto puramente interno” de Pequim. “Em questões relacionadas aos interesses centrais de soberania e integridade territorial da China, a China não tem espaço para compromissos ou concessões”, acrescentou.

O presidente dos EUA, Joe Biden, expressou sua disposição de usar a força para defender Taiwan, bem como o apoio de Washington a outras nações diante de uma possível ameaça da China. “Nós concordamos com a política da China única e a assinamos. Mas a ideia de que pode ser tomada à força simplesmente não é apropriada”,  disse  o inquilino da Casa Branca.

“Ninguém deve subestimar a forte determinação, forte vontade e forte capacidade do povo chinês de defender a soberania nacional e a integridade territorial”, respondeu Wang Wenbin.

escalada de tensões

Nos últimos meses, as tensões entre Pequim e Washington parecem aumentar diante de uma possível mudança na posição do país norte-americano em relação ao princípio de uma só China. De Pequim  , eles apontam  que ultimamente os EUA “têm ‘mostrado seus músculos’ nos portões da China, reunindo círculos anti-chineses e até criando um escândalo sobre a questão de Taiwan e testando a linha vermelha”.

O Departamento de Estado dos EUA  modificou  o site dedicado às relações entre Washington e Taipei, removendo a frase sobre ” reconhecer Taiwan como parte da China ” do  texto original .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.