China cria os primeiros porcos do mundo clonados inteiramente por robôs

Compartilhe

Cientistas chineses da Universidade de Nankai e do Instituto de Pecuária e Medicina Veterinária da Academia de Ciências Agrárias de Tianjin desenvolveram uma tecnologia de clonagem de porcos usando robôs, na qual nenhum humano está envolvido em nenhuma das etapas.

A conquista pode levar ao aumento da clonagem automatizada de animais no futuro e tornar a agricultura chinesa menos dependente de porcas reprodutoras importadas, de acordo com um comunicado da Universidade de Nankai .clonagem

Relata-se que a porca reprodutora que passou pelo processo de fertilização em 31 de março de 2022 deu à luz sete leitões Landrace saudáveis. Segundo os cientistas, o envolvimento de robôs aumenta o sucesso da clonagem, pois suas ações sclonagem ão mais precisas e menos propensas a danificar as células.

Atualmente o gigante asiático é o maior consumidor mundial de carne suína, mas Pequim está se esforçando para ser mais independente das importações desse produto, principalmente em relação às inúmeras sanções dos Estados Unidos e de outros países. Além disso, as raças suínas chinesas estão se degenerando rapidamente, relata  o South China Morning Post.

A clonagem pode ser uma solução eficaz para o problema. O método mais comum de clonagem é chamado de transferência nuclear de células somáticas, e utiliza a célula-ovo e a célula somática do animal clonado. A técnica envolve remover o núcleo do óvulo e substituí-lo pelo núcleo de uma célula somática. O procedimento inclui muitas etapas complexas e demoradas, requer a participação de pessoal qualificado e não pode ser usado em larga escala. 

Em 2017, os pesquisadores obtiveram os primeiros leitões do mundo clonados por robôs, mas os humanos foram envolvidos em algumas etapas do processo.

Em vez disso, agora foi possível obter a automação completa do processo. O robô tem visão microscópica e com a ajuda da inteligência artificial calcula a deformação das células para aplicar o mínimo de força e não danificar o oócito durante a operação. Isso melhora a precisão da clonagem e a velocidade do desenvolvimento embrionário.

O uso da tecnologia de clonagem automatizada aumentou o sucesso da operação de 10% para 27,5%. Os primeiros leitões resultantes da clonagem são aptos para reprodução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.