Coreia do Sul se une à defesa cibernética da OTAN

Compartilhe

A Coreia do Sul tornou-se a primeira nação asiática a ser admitida no grupo de defesa cibernética da OTAN, anunciou na quinta-feira o Serviço Nacional de Inteligência da Coreia do Sul (NIS), citado pela agência Yonhap.

A agência de inteligência sul-coreana entrou formalmente no Centro de Excelência Cooperativa de Defesa Cibernética da OTAN (CCDCOE) — cuja sede está localizada na cidade de Tallinn (Estônia) — com o objetivo de representar seu país em atividades de pesquisa e treinamento.

“Planejamos fortalecer nossas capacidades de resposta cibernética a um nível de classe mundial, aumentando o número de nosso pessoal enviado ao centro e expandindo o escopo do treinamento conjunto”, disse o NIS.

Com a incorporação da Coreia do Sul no CCDCOE, o número de membros aumentou para 32: incluindo 27 dos 30 estados membros da OTAN, designados como ‘nações patrocinadoras’, e cinco países como ‘participantes contribuintes’.

O CCDCOE foi estabelecido em maio de 2008 por iniciativa da Estônia, juntamente com seis outros países europeus, após os primeiros ataques de negação de serviço da nação báltica em 2007, que conseguiram paralisar o governo e os sistemas financeiros por algumas semanas. Em outubro de 2008 obteve o status de Organização Militar Internacional pela OTAN.

De acordo com o CCDCOE, a missão da organização é apoiar os países membros e a própria OTAN “com experiência interdisciplinar única no campo da pesquisa, treinamento e exercícios de defesa cibernética cobrindo as áreas de foco de tecnologia, estratégia, operações e leis”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.