Elon Musk explica o que ele quis dizer com ‘liberdade de expressão’ no Twitter

Compartilhe

O empresário Elon Musk esclareceu sua posição sobre a liberdade de expressão após comprar a rede social Twitter, segundo duas mensagens publicadas nesta terça-feira por meio de sua conta oficial na plataforma de microblog.

“A reação extrema de anticorpos daqueles que temem a liberdade de expressão diz tudo”, diz o primeiro tweet . “Por ‘liberdade de expressão’ quero dizer simplesmente o que está dentro da lei “, acrescentou em uma mensagem posterior .

Da mesma forma, ele garante que é contra a censura que vai muito além da lei, detalhando que se as pessoas quiserem menos liberdade de expressão terão que pedir ao governo que aprove leis nesse sentido, embora não tenha citado nenhum país específico.

“Contrário à vontade do povo”

“Portanto, ir além da lei é contrário à vontade das pessoas”, concluiu o CEO da Tesla e da SpaceX.

Após várias semanas de negociações, o bilionário recebeu nesta segunda-feira o sinal verde  para a compra do Twitter, chegando a um “acordo definitivo” por cerca de 44 bilhões de dólares com os representantes da empresa.

Posteriormente, o comissário para o Mercado Interno e Serviços da Comissão Europeia, Thierry Breton, disse ao  Financial Times que o Twitter terá de cumprir as novas regras digitais da União Europeia, aprovadas há poucos dias.

O que diz a UE?

“Congratulamo-nos com todos. Estamos abertos, mas em nossos termos”, explicou. “Elon, existem regras. Você é bem-vindo, mas essas são as nossas regras. Não são as suas regras que se aplicam aqui”, acrescentou referindo-se ao Velho Continente.

Nesse sentido, indicou que se a rede social agora propriedade de Musk quiser operar na Europa, deve cumprir uma série de obrigações , incluindo moderação, algoritmos abertos, liberdade de expressão, transparência nos regulamentos e cumprir as suas regras relacionadas com discurso de ódio, entre outras questões.

“Se [o Twitter] não cumprir a nossa lei, haverá sanções: 6% da receita [da empresa] e, se continuarem, será proibida de operar na Europa”, disse. No entanto, em um tweet publicado em sua conta, Breton destacou que o empresário está familiarizado com a legislação automotiva europeia, por isso acredita que se adaptará rapidamente à Lei de Serviços Digitais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.