Enxames de gafanhotos do deserto invadem a Etiópia e ameaçam agravar ainda mais a crise alimentar

Compartilhe

Um enxame de gafanhotos do deserto invadiu mais de quatro quilômetros quadrados de terra na área de Borena, ameaçando destruir a vegetação e impedir a colheita planejada, informou hoje o escritório regional de comunicação estadual de Oromia. 

Para reduzir os danos, o escritório de Proteção Agrícola e Ambiental da área pulverizou 0,3 quilômetros quadrados das pessoas afetadas com inseticida. O director do gabinete, Birhane Amare, afirmou que a falta de cobertura da obra se deve à falta de aviões pulverizadores, o que obrigou a tarefa a ser realizada de carro, informou uma fonte local.

O presidente explicou que as ações implementadas não serão suficientes para mitigar o problema e pediu a implementação de novas soluções antes da colheita prevista. O gafanhoto do deserto não apenas come toda a vegetação que encontra, mas, enquanto durar sua presença, a colheita nessas terras torna-se impossível. 

Considerada a praga migratória mais destrutiva do mundo, o gafanhoto do deserto é um problema recorrente no Chifre da África. Seus enxames podem cobrir dezenas de quilômetros quadrados e destruir a agricultura e a pecuária em seu caminho. Um relatório publicado pela ONU em 2020 observou que “um pequeno enxame de um quilômetro quadrado  pode comer a mesma quantidade de comida em um dia que 35.000 pessoas”.

Esta situação agrava a  situação alimentar  na Etiópia, onde as secas e os conflitos armados fizeram com que milhões de pessoas necessitassem de assistência humanitária. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.