EUA anunciam aumento na assistência militar e impulso diplomático para a Ucrânia durante visita de enviados a Kiev

Compartilhe

Os secretários de Estado e Defesa dos EUA, Antony Blinken e Lloyd Austin , respectivamente, chegaram a Kiev, capital ucraniana, no domingo para se reunir com o presidente Vladimir Zelensky e outros altos funcionários ucranianos, a quem prometeram mais ajuda.

“A visita de uma delegação de altos funcionários americanos a Kiev neste momento crucial para o Estado ucraniano é muito valiosa e importante”, escreveu Zelensky em sua conta no Telegram. Em particular, durante seu encontro com Blinken e Austin, foram discutidas as questões de ” ajuda à defesa , reforço da política de sanções contra a Rússia, apoio financeiro à Ucrânia e garantias de segurança”, disse o presidente do país eslavo.

Segundo a Reuters , altos funcionários anunciaram ao presidente ucraniano cerca de US$ 322 milhões em ajuda de financiamento militar, bem como US$ 165 milhões em vendas de munição. No total, Washington alocará US$ 713 milhões para a Ucrânia e 15 países aliados e associados. 

A fonte assegurou que esta assistência “vai dar suporte às capacidades que a Ucrânia necessita, especialmente no combate no Donbass ” e “vai ajudar as Forças Armadas ucranianas a fazer a transição para sistemas de defesa aérea e armamento mais avançados”. 

Da mesma forma, Blinken e Austin anunciaram que o presidente dos EUA, Joe Biden, revelará em breve o candidato ao cargo de embaixador na Ucrânia e afirmaram que os diplomatas dos EUA que deixaram a Ucrânia começarão a retornar ao país nesta semana. . A Embaixada dos EUA em Kiev permanecerá fechada por enquanto, observaram.

Além disso, Blinken observou , citado pelo NY Times, que provavelmente levará várias semanas para que a Embaixada em Kiev esteja totalmente operacional.

Autoridades de alto escalão não permitiram que a mídia os acompanhasse em sua viagem à Ucrânia, alegando preocupações de segurança, e informaram aos jornalistas que eles estavam na Polônia, com a condição de que a viagem não fosse relatada até que a delegação estivesse em segurança fora da Ucrânia.

Após a viagem, Austin seguirá para a Alemanha, onde se reunirá com seus colegas de mais de 20 países e com o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, na Base Aérea de Ramstein dos EUA, para discutir as necessidades de defesa da Ucrânia. 

Esta é a visita de mais alto nível dos EUA a Kiev desde o início da operação especial russa. 

O presidente ucraniano, Vladimir Zelensky , anunciou  no sábado que Blinken e Austin visitariam Kiev em 24 de abril.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.